quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Gostar versus amar...



Gostar é ter pressa para chegar a casa, é desistir de sair porque começou a chover, é deixar para depois o que poderia ser feito hoje. Amar é sofrer por cada segundo que passa, é não ver o tempo passar e na hora de ir embora, lamentar: mas já?
Amar é sair debaixo de chuva, se preciso for, ou inventar um desses programas com edredons, filmes e carinhos, é aprender com o passado, viver o presente e se importar com o futuro.
Gostar é beijar e não perder a noção do tempo nem do espaço. É saber muito bem onde está e, de vez em quando, abrir os olhos para conferir o mundo à volta. Amar é permitir ser sequestrado por um beijo, é viajar na velocidade da luz, é sentir que está perdido e não fazer esforço algum para tentar se encontrar. Amar é quando o beijo te deixa atordoado, sem fôlego e se sentindo especial. Gostar é quando o beijo tem começo, tem fim, mas não tem história, é quando você se sente como só mais um.
Quando não existe amor, o relacionamento pode ser bom, mas não deixa de ser só atracção. Amar é ter uma ligação que vai além da carne, é uma relação de almas. Gostar é ter vergonha de expor os seus defeitos, é esconder os erros debaixo do tapete, é tentar mostrar que é perfeito o tempo todo, mas por trás, sabe que não está sendo verdadeiro.
Amar é não ter vergonha dos seus defeitos, é exibi-los sem receio, é deixar claro que está longe de ser alguém perfeito, mas que jamais faria algo que machucasse o outro.
Gostar é dormir junto, mas levantar cedo no outro dia para outros compromissos. Amar é abrir mão da sua rotina é querer ficar até a outra vida. Gostar é ver as qualidades, mas perceber os poucos defeitos. Gostar é dar as mãos, mas ainda assim não se sentir seguro. É seguir com alguém, mas carregar aquela leve impressão de que não vai dar em nada. 
Gostar é  prender-se ao outro, amar é escolher ficar mesmo com tantas opções para fugir.
Gostar é prometer, amar é surpreender. Gostar é falar, falar, falar, amar é agir. Gostar é ”vou ver e qualquer coisa eu ligo’, amar é " liguei-te para dizer que estou a caminho”. Gostar é pensar: ”Eu o(a) espero  mandar uma mensagem, ou eu mando?”, amar é aparecer, comparecer, é dizer o que o coração sussurra, gostar é preferir calar e falar só o que a mente deseja. Gostar é querer estar sempre certo, amar é aceitar que nem sempre você estará com a razão. Amar é ceder, é não ter vergonha de demonstrar afecto.


(li algures por aí, não faço a mínima ideia de quem escreveu)

4 comentários:

  1. tenho a certeza que não foi o Gustavo Santos que escreveu isso, isso eu sei. Não concordando com tudo, mas quase, parece-me bem ser isso o amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deve ter sido o Gustavo, não...
      É capaz de ser algo parecido com isto...

      Eliminar
  2. Muito verdadeiro. Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.