segunda-feira, 4 de novembro de 2013



Quando somos crianças ensinam-nos a andar, a construir legos, a fazer puzzles, na vida ensinam-nos tudo.
Crescemos e aprendemos a cozinhar, transmitem-nos valores, e pelo meio das nossas experiencias ganhamos forças, tornamo-nos mais fortes porque certa altura alguém nos quis cortar as pernas, derrubar os muros outrora feitos de legos, baralhar-nos as peças, basicamente deitar-nos abaixo.
Daí para a frente já nada é de criança, tudo o que éramos deixamos de ser, transformamo-nos numa força da natureza apenas e só porque no fundo alguém nos magoou.
Agora tenho um muro à minha volta, estou mais fria do que nunca, mais distante, menos sentimental...

24 comentários:

  1. Dou cabo desse teu muro num instantinho: Só precisas de alguém que te dê um abraço apertado como o meu com braços de ir e vir contra o peito, de alguém que te olhe nos olhos e te fale de coração aberto ...como eu, não hesitarias em retribuir-me imediatamente! Quanto apostas?!?!?!?

    Jinhoooossssss minha Flor Agreste!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venha lá o abracinho que hoje tou carente :P

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Abraços apertados para transmitir energia ? Não me chamaram ?

      Eliminar
  2. "Crescemos e aprendemos a cozinhar" - alguns aprendem, outros morrem sem nunca aprender!!

    Bem continuas igualzinha, pahhhhh!!! Os anos não passam por ti!! :p

    ResponderEliminar
  3. Tão fofaaaaaaaaa :)
    Amiga, é daquelas mil conversas que temos tido...
    Construímos muros e abrimos frestas para deixar algo entrar....seja mau ou bom...temos que arriscar.
    Beijinhos docessssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que já calafetei todas as frestas :)
      Beijos

      Eliminar
  4. Dizem que com os anos serenamos..concordo e que voltamos a ser um pouco crianças o suficiente para te dar um abracinho carinhoso e derrubar o muro que a vida constrói, mas o abraço apertado e sincero destrói, para que fiques mais branda ...aceitas? :)
    Um grande Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que aceito... venha ele!
      Obrigada, beijinhos

      Eliminar
    2. Espero que nesta altura já tenha passado mas o meu abraço com boas energias tens .
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Olá querida Lírio,
    Já vi esta foto e já li estas palavras, acho que seremos sempre crianças ou não devemos deixar morrer a criança dentro de nós.

    Discordo da última frase: "Agora tenho um muro à minha volta, estou mais fria do que nunca, mais distante, menos sentimental...".
    Acho que és uma pessoa sensível e com um coração de ouro, opinião de uma criança que se recusa crescer e será sempre uma criança.

    Tens e terás sempre o meu abraço e o meu apoio, sabes disso?

    beijinhos grandes e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou isso tudo Serginho, mas também sou fria quando quero.
      Beijinhos e boa semana

      Eliminar
  6. Se na foto és tu, deixa-me dizer que gosto da indumentária ! Tem glamour mesmo do bom. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
      Já estivemos melhoooooooooooooooooooooorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

      Eliminar
  7. Acredito que por mais que passemos guardamos ainda que por vezes bem escondida uma parte da criança que somos..libertá-la nos maus momentos é pacificador...!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre bom deixar fluir a criança que há em cada um de nós.
      Beijos Maria

      Eliminar
  8. Eu acho que já construí uma muralha (tipo da china) ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas olha que pode-se passear na Muralha da China...
      :)

      Eliminar
  9. Apesar de ficarmos mais frias com o tempo, o nosso interior continua sendo o mesmo. Só criamos barreiras de protecção para não nos voltarem a magoar (se possível...),...
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.