segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Nas palavras dos outros...




Despida de preto, brindo-te com o meu corpo
Vestido de pele, de aromas,  de promessas de ficar e de voltar,
De momentos de mistério onde nos imolamos
Para que nenhum pedaço da minha pele fuja
e, em  êxtase, possamos construir um poema em carne viva.
Desalinhado, é certo!
Como o meu cabelo, o teu olhar, o teu corpo.
Como nós.

(in Saltos Altos)

2 comentários:

  1. Ehhhh lá...quem me manda passar em horário laboral...falta tanto p'ra chegar a casa caraças...:))))) p'ra eu me despir de preto:)))))

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.