quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Confissões de uma mente depravada :)

Hoje no café alguém dizia:
“Ah e tal… quando uma relação termina mesmo que a outra pessoa encontre alguém, se a amamos, devemos querer que ela seja feliz ao lado dessa pessoa.
Eh pah não é bem assim! Isso é pura hipocrisia!
Se uma relação acaba, em especial por culpa da outra parte, e uns tempos depois vemos essa pessoa com outra, se ainda a amarmos, não ficamos lá muito felizes, não?!
Aliás, eu estimava bem que partissem os dedinhos dos pés e das mãos.
(que horror!)!
Como quase toda a gente eu também já sofri de amor, já fui abandonada, já chorei, já gritei aos quatro ventos, já achei que era a mulher mais infeliz do mundo; já fiz coisas das quais me vim a arrepender, mas que se não as fizesse, arrepender-me-ia muito mais, tenho a certeza; já bati com a cabeça e já fiz coisas que sempre disse que nunca faria; já perdoei, já esperneei de dor, mas acabei por aceitar que era o melhor, mas custou, claro! Mas daí a dizer que depois de acabar, me deixa feliz saber que essa pessoa é feliz ao lado de outra?! Ui...!
Vai uma grande diferença!
Na verdade, ao amadurecermos, as feridas cicatrizam e deixamos SIM de pensar nisso; ou deixa de nos afectar, mas quando é recente, custa e não é pouco!
Eu não acredito em amizades após as relações, mas por vezes acontece.
Passados alguns anos, se ainda tivermos contacto com essa pessoa, ou se está perto, talvez fique um sentimento de respeito. Sei lá, acho que já nem importa... Não há rancor, não há vontade que a pessoa sofra, há talvez um alívio por saber que a pessoa se encontrou e superou (?!), mas acima de tudo QUE NÓS SUPERÁMOS!
Acho que nem interessa se se arrependeu, interessa sim que refizemos as nossas vidas e seguimos em frente.
Porque quem vive com ódio, não vive de facto!

6 comentários:

  1. A questão é: se ainda não consegues querer que esse outro seja feliz, é porque ainda estás ressabiada e na realidade ainda não ultrapassaste. Chegar a esse patamar de "quero que ele(a) seja feliz" é sinal de já ter ultrapassado. Isso ou a indiferença.

    ResponderEliminar
  2. As tuas palavras são politicamente correctas, porque na realidade ninguém pensa assim quando acaba um relacionamento, pelo menos logo nos primeiros tempos.

    ResponderEliminar
  3. De todo. Quando ultrapassas, ou te é indiferente ou ficas feliz.

    ResponderEliminar
  4. Tens toda a razão. Quando uma relação acaba, fingimos que está tudo bem e quando vemos aquela pessoa com uma outra passamos ao lado e fazemo-nos de fortes. Mas ao chegar a casa lá vêm as lágrimas, a tristeza, a dor lancinante que corta o nosso coração em mil pedaços.
    Mesmo algum tempo depois... se não acabou de forma natural, ou por vontade de ambos, fica sempre aquela sensação de perda, de falta de algo, de vazio...e muito dificilmente vamos desejar que aquela pessoa seja feliz com outra. Não é uma questão de ódio, mas sim de dor. Não é por odiarmos aquela pessoa que não queremos vê-la com outra, é por que ainda estamos magoados, por que ainda sentimos algo que não conseguimos arrancar de dentro de nós...

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.