sexta-feira, 24 de abril de 2015

Meio vazio...



Chego à triste conclusão que sinto falta de alguém...
O copo vai a meio, as gotas que escorrem pelas suas paredes de cada vez que o levo aos lábios deixa um sabor a nostalgia na minha boca.
Só há um copo em cima da mesa... não dois...
O desejo de partilhar este momento chegou assim que bebi o primeiro gole; há prazeres, como este, que devem ser partilhados de quando em vez... sim, porque há dias em que não há melhor companhia que a nossa... contudo, hoje não é um desses dias.
Apetecia-me um ombro, um enrolar de outros dedos nos meus, um olhar, um beijo inocente...
E, para animar este sentimento, oiço ao longe o Paulo Gonzo a cantar os seus Jardins Proibidos - um aperto prende o meu coração...
Quantos jardins já não percorri... mas ainda não descobri o ponto de chegada neste labirinto por onde tem andado a minha alma... e ainda não me perdi naquele recanto aninhada a quem irei deixar que se perca em mim... ou perdi? ou deixei?
Sim, já me perdi e já deixei que se quisessem perder, o que nunca quis foi prender quem nunca se quis encontrar em mim... deixei ir...
Acredito que o que nos está destinado acabará por voltar, ou chegará sem aviso com aquela força que me fará perder novamente...
É certo que cada vez que o mapa é desdobrado e iniciamos a viagem das emoções, não sabemos de antemão onde vamos chegar... certo é que neste monopólio dos sentimentos, ninguém chega à bancarrota porque há muitas formas de amor... o amor romântico, o amor paixão, o amor ternura, o amor amizade...
Porém, neste momento era com o amor romântico que me apetecia dividir este copo de vinho...

7 comentários:

  1. É isso...eu sempre bebi sozinho, se é que me entendes... Mesmo sendo a única forma de viver que experimentei há momentos em que eu me interrogo como seria beber acompanhado, gostava de saber mas nem sempre é possível ter o que se gosta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade... nem sempre se tem o que se gosta. ..

      Eliminar
  2. Happiness only real when shared

    ResponderEliminar
  3. Lírio Selvagem....como sempre, um texto emocionante. Saiu mesmo de dentro dessa alma linda, guardada por um corpo mais lindo ainda....
    Corpo e alma... perfeita você!!!!
    O texto é de um lirismo e de uma melancolia impressionantes.....

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.