quinta-feira, 12 de setembro de 2013



Gosto do que ninguém nota, do que é diferente.
Gosto da pessoa que está ao canto da festa, que parece não se importar, que desvia o olhar.
Gosto da pessoa que vive no seu mundo e não faz questão do mundo dos outros.
Sempre gostei de quem se basta por si, de quem não é carente.
Gosto de quem não faz da vida uma busca desenfreada pela alma gémea .
No mundo onde tudo é comum, o meu objectivo é procurar o diferente.
Gosto dos detalhes, do que passou despercebido ou invisível ao olhar.
Procuro o raro, a excepção, o que está entrando em extinção, ás vezes acho que procuro uma agulha no palheiro.
Pessoas que fingem, que escondem sentimentos, que não conseguem amar, que não são quem queriam ser, são fácies de decifrar por pessoas observadoras como eu.
As pessoas difíceis de ler são as diferentes, aqueles que não se enquadram em padrões ditos normais.
São aquelas pessoas que nos deixam curiosas, será que já amou? O que esconde? O que pensa? Por onde andou? Já sofreu?
Equiparo estas pessoas a um abismo, porque nunca sabemos o que nos espera, mas mesmo assim temos vontade de nos atirar de cabeça e rezar para que o paraquedas funcione.
No meio de tanta normalidade eu procuro algo que me instigue, procuro esquecer o clichê do homem popular que todas querem, ou do “bonzão” que chama a atenção quando chega a qualquer lugar. Sou mais exigente que isso, procuro sempre aquilo que mais brilha, que irradia mais luz, que queima a pele e a alma. Só assim terei a certeza que irei encontrar o amor.
Pois o amor não é normal, calmo e tranquilo.
O amor é profundo, misterioso e causa um frio no estômago, assim como o abismo.



5 comentários:

  1. Se encontrares aproveita. :)
    Eu já desisti de procurar, se aparecer pode ser que me surpreenda.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Será que o amor não pode ser tranquilo? :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Olá, Admiro o que você admira, admiro a sua exigência,significa que sabe bem o que quer, só sabe o que quer quem tem uma personalidade.
    Penso que todo o ser humano tem carências de uma ordem ou outra, é impossível ter tudo na vida.

    ag

    ResponderEliminar
  4. Engraçado revi-me em muito do que dizes e eu que até pensava ser assim pela experiência de vida que me fez mais selectiva. Mas que tenho uma personalidade vincada lá isso tenho, sempre me disseram.

    Quanto ao amor encontrei-o há muitos anos e assim vou andando, mas uma coisa te digo era incapaz de viver com alguém como acto consumado como algo para me dar calma para todo o sempre. Amar e ser amado é algo que exige um olhar diferente de ambos quase todos os dias ,pois a rotina mata o amor.

    Beijinhos e um bom dia para ti Lírio.

    ResponderEliminar
  5. Palavras simples por fora e com o recheio por dentro.

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.