domingo, 30 de novembro de 2014

 

Nos olhos, o castanho, desafia o sonho
Na boca carmim, gorjeios de criança
E na aura, o mistério que a tudo resiste!

É tímido, o jeito, com que enfrenta e insiste
Mas corre-lhe nas veias, o ardor da mudança
Ilude quem pensa que, por pouco, se cansa
É Mulher – Guerreira! Não teme, ou desiste!

Libertina em sonhos, excessiva em emoção
Umas vezes, “iceberg”, outras tantas, paixão
Sensível aos afectos, porém, muito esquiva…

Do destino, não foge, mas é filha do vento
Amazona, a galope, na garupa do tempo
Alma peregrina, por esse mundo, à deriva…

4 comentários:

  1. Totalmente você....!!!!!!
    "Do destino, não foge, mas é filha do vento
    Amazona, a galope, na garupa do tempo
    Alma peregrina, por esse mundo, à deriva…"

    ResponderEliminar
  2. Fiquei na imagem. Amanhã logo vejo as letras. ;))

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.