sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Devaneios...







São as horas vazias...
os silêncios...
o lado frio da cama. 
São os sonhos sem rosto...
o fim dos dias sem história...
e a saudade do que ainda não chegou. 
Não sei pelo que esperar, 
enquanto me convenço de que tudo tem o tempo certo.


6 comentários:

  1. Um poema antigo para essa menina linda, talentosa... que o tempo fê-la desaparecer:
    ¨Para te amar há o tempo infindável
    Certo e infinito de dois de nós.
    Há o tempo exato e inevitável
    De ouvir a nossa voz.

    Há o tempo certo para eu te sorrir
    Te chorar e – quem sabe... te perder?
    Mas há o tempo breve, uma colcheia, uma fusa
    Um só compasso, da luz difusa,
    Das carícias trocadas entre nós.

    Há sim, as notas do tempo. Mudo.
    Há-se que compreender que há o tempo de tudo.
    Há o tempo em que li tua ânsia
    Teu adeus cruel. À distância.
    Há o tempo do adeus
    Escrito com teu batom cor de rubi
    Na face crua do nosso espelho...¨

    Beijos Maricota Linda!!!!

    ResponderEliminar
  2. Olá. Imagem maravilhosa, poema deslumbrante. Linda conjugação
    Bjo

    ResponderEliminar
  3. Tudo tem o tempo certo menina Lirio. TUDO!
    Beiju com saudade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que tudo na vida é limitado.
      Estou por aqui... não precisa ter saudade :)
      Volte sempre.

      Eliminar

Vá... comenta, não te inibas.