quinta-feira, 11 de setembro de 2014



Não acho que seja fácil dizer a alguém "Eu amo-te" [em português e a olhar nos olhos].
E, às pouquíssimas pessoas a quem o disse, recebi sempre um "Eu também te amo".
Para ser sincera, acho que não tenho a capacidade de amar alguém que não me ame de igual maneira.
Desisto entretanto.
O amor só faz sentido se for assim.

10 comentários:

  1. O amor tem dois sentidos...se não tenho para mim que não chega a ser amor :)!
    beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade... tem de existir dualidade.
      Beijinhos Maria

      Eliminar
  2. Ora pronto, vamos cá comentar este post que se faz tarde e a baronesa já anda à minha procura... não posso correr o risco dela me apanhar aqui!
    Como ia dizendo, óbviamente que concordo contigo, o amor só faz sentido se existir reciprocidade...doutra forma não é amor mas sim paixão. Não confundir.
    Um beijo!
    :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que a baronesa não te tenha apanhado aqui em casa, não quero ser responsável por disturbios amorosos. Até porque aqui reina o "Peace and Love"
      Paixão... essa feiticeira que nos confunde os sentidos. Beijos :)

      Eliminar
    2. A baronesa é a minha querida directora e, por favor, não fales em paixão, que me excitas...
      :)))

      Eliminar
    3. Xiuuu
      Não quero excitações na minha taska, isto é uma casa de familia :P

      Eliminar
  3. Concordo, só não concordo que desistas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas desisto... não gosto de remar contra a maré.

      Eliminar
  4. PS: nem toda a gente ama com a mesma intensidade ou da mesma maneira ou até da maneira como gostaríamos que fosse....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é verdade. Mas pelo menos demosntrem um tiquinho, não?

      Eliminar

Vá... comenta, não te inibas.