segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Retrospectiva.





Ele dizia que eu era a única que o entendia. Que ninguém percebia aquela falsa boa disposição, excepto eu. Lia-lhe os olhos. Contaram-se uns anos, um outro lá admitiu o quanto eu era especial, e quando a madrugada lhe era difícil o meu telefone tocava. Mais uns meses e quando eu pensava que só dizia disparates, faz-me um frente a frente e passo a ser uma das melhores pessoas que conheceu. Cansei-me, afastei-me, até que mais um vem com um "desculpa lá" mas és das pessoas que mais prezo.
Parece bonito não parece? 
É sempre bom ser especial para alguém. Até parar e perceber que se hoje o meu amor é perfeccionista, metódico, inflexível, a culpa é deles. Todos eles. Todos os que se acomodaram em ser entendidos e não perceberam que em certa medida só de mim entendiam o que eu queria. Porque nunca ninguém se preocupou em conhecer-me sem que eu o fizesse primeiro, nunca ninguém deu voz ao que eu ainda pensava, nunca ninguém terminou as minhas frases... Isso, nunca ninguém terminou as minhas frases. 
Alguém que me segure, me abane e me faça gritar a preocupação, os exageros, os segredos. Mas ninguém. E é por eu não merecer menos do que esse alguém que o meu amor continua inflexível. Metódico. Perfeccionista.

Sim, eu falo entre linhas. E não mudo até as saberem interpretar.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

that's it for today...





É difícil ir embora... 
até nos irmos embora. 
E depois é o raio da coisa mais fácil do mundo.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Conversas a vulso...





Eu: Quero ser Miss.
Amiga: Para quê?
Eu: Para ser burra... Às vezes dava-me jeito.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Sei exactamente quando é A mulher que lhe liga.







São dezenas de telefonemas que recebe por dia. 
São tantos assuntos aos quais ele tem que manter aquela postura implacável, outros tantos mais simpáticos mas não menos profissionais, mas depois tem aquele que lhe muda a voz. 
Não é só o jeito dele, não é só o "então como estás?" cheio de ternura, é sobretudo a voz. 
A voz que muda, o tom que só ela tem direito. 
E ponho-me a pensar que o amor também é isso, deve ser isso, não apenas ser mas também ter a excepção. 
Talvez aquilo já lhe seja intrínseco, o que ainda torna tudo mais bonito. 
Não sei, nem sei tão pouco o que falam, só sei que a voz muda e isso dá-me esperança.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

E o Verão já era...



"(...) Posso te garantir que o verão solitário me deixou mais mulher, mais leve e mais bronzeada e que, depois de sofrer muito querendo uma pessoa perfeita e uma vida de cinema, eu só quero ser feliz de um jeito simples. 
 





 Hoje o céu ficou bem nublado, mas depois abriu o maior sol."
 
                                                                   
                                                                             Tati Bernardi
 

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

That's it for today...



Ando monitorizada como um robô para conseguir ter tempo para tudo, não me posso atrasar cinco minutos em nada, ou perco o "comboio". 
Mas todos acabamos por ter a vida que escolhemos, não é? 
E eu escolhi esta. 
Só me falta arrumar um bocado mais a casa, aprender a dominar a ansiedade e sentir que há um porto seguro num lugar qualquer.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Remédio para insónia



Chora aos berros como as crianças, até te estafares. Vais ver que depois adormeces!

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

E...



Aquela nostalgia por pessoas que ficaram por conhecer...?
 
(Tenho a sensação que algumas valeriam mesmo a pena)

terça-feira, 4 de outubro de 2016

E por hoje é só...







"Isto não é uma ciência exacta. (...)
O que não falta neste mundo são mentirosos. 
Temos é de aprender a diferenciar os mentirosos que não prestam, dos mentirosos que valem a pena amar"