sábado, 28 de fevereiro de 2015

Ela está à espreita...




A Primavera...claro!!!


Ilha de Faro


Paz... silêncio...mar...


E a Ria Formosa ali tão perto...


Já cheira a praia...esplanadas... bikinis...Verão... calor... bikinis... Sol... cerveja bikinis...

:))

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

M... de mãe



Ela, a minha mãe. É quem mais amo. É quem mais preciso. É a quem recorro na dúvida. É a quem recorro nos medos. É a melhor pessoa para abraçar. É quem me fortalece. É uma mulher menina para toda a vida. É uma leoa a defender a família. É uma lutadora diária. É quem nunca me nega um sorriso. É quem me conhece melhor que ninguém. É meu porto de abrigo sempre que preciso. É quem confia em mim a cem por cento. É quem não me pede mais do que eu lhe dou. É a quem quero dar o melhor que consiga. É a pessoa que mais merece ser feliz nesta vida. É quem canta e dança com uma alegria contagiante. É quem tem vergonha de chorar à minha frente. É quem nunca quer dar parte fraca. É quem quero cuidar para sempre. É quem quero ver sorrir sempre e acima de tudo. É quem não consigo definir por completo. É a minha melhor companhia. É a minha melhor amiga. É a pessoa mais importante da minha vida. Ela, a minha Mãe. 


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Homens



Há aquele que descobriu como grande amigo. Que a ouve. 
Mas por quem nunca sentirá mais do que pura amizade.


Há aquele que voltou do passado. Que foi antiga paixão assombrada. 
Mas nada mais é agora do que carinho e cumplicidade.


Há aquele que ainda está por esquecer. Que ela odeia tanto quanto... 
Mas que a deixou ferida de morte.



Há aquele que lhe desperta pensamentos inconfessáveis. 
Que vai observando como predadora. Mas apenas um corpo.


Há aquele que a rodeia de atenções. Que seria capaz de lhe dar o mundo. 
Mas que não faz o seu coração bater mais forte.


E porque será que tudo se parece tanto com... nada?!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Zen






De vez em quando gosto de me esquecer do computador ou do telemóvel. gosto de fazer de conta que não existem.

- E se te esqueceres dos dois?

Ainda é melhor. 
Viver offline é simplesmente relaxante. 
Experimenta, vais ver que não minto.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Miau



Eu vivia no entusiasmo do nosso amor verdadeiro, e dizia-o orgulhosamente para que o ouvisses, expressava o que sentia de uma forma simples, natural e tradicional; usava recorrentemente um pomposo, baboso e gordo: AMO-TE. 
Tu percebias a palavra, encaixavas o abraço e respondias MIAU. 
- "MIAU"????? - mas tu não sabes dizer outra coisa? -"MIAU?" 
E, de facto, tu não sabias. Ficavas de olhos tristes na minha direção e baixavas o queixo, enquanto eu me resignava a tentar entender a tua reação. 
Os dias passavam e os meus "amo-tes" iam chocando de frente com os teus "miaus"; irritava-me não receber na mesmo moeda; eu já quase nem conseguia falar e tu nem chegavas a miar. 
Nervoso tentei pela última vez: 
- "AMO-TE".
- "MIAU" - respondeste. 
- Acabou. Vou-me embora. Se não me amas na mesma dose não há motivos para aqui estar. 
Desesperada continuaste: 
- "MIAU, MIAU, MIAU"... 
Nem quis ouvir. Saí porta fora e nunca mais voltei. 
O tempo passou e a vida lá me mostrou tudo aquilo que agora sei. 
Sempre te amei com intensidade, e tu sempre "miaste" na minha direção, o sentimento era igual, a forma de o expressar, essa sim, foi diferente. 
O amor não é o que se diz; o amor é o que se sente. 


Tristão de Andrade

Os nuestros hermanos sabem-na toda



La vida es como el punto G, aprende dónde tocar y tendrás a alguien a tus pies.



Ora... nem mais!!! 

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Ela está solteira. Não sozinha.




Ela pinta as unhas de vermelho quando quer. Mas também sabe deixar as unhas a lascar quando lhe dá vontade. Esbanja esquisitices ao falar das suas séries favoritas e cala-se quando o assunto é sobre o porquê dela não ter namorado.
Ela usa vestidos de crochet, e gosta daqueles clichês de tomar chá quando o tempo está frio. Bebe cerveja em canecas como os homens pré-históricos quando lhe apetece. Ela ri de palavrões e de piadas de humor negro. Mas, também, derrete-se mais do que manteiga numa frigideira quando recebe um sms romântico de madrugada.
Mas por que não namora?
Ela acorda, escova os dentes perfeitos, sinal de quem já usou aparelho, toma chocolate quente, arruma-se e vai trabalhar.  Ela é linda e desconversa. Fala do tempo, do futebol, da novela, da mãe e da crise em Portugal.
Mas porque é que não namora?
Quando o assunto é sexo, ela fala menos do que escuta. Gosta de umas bandas que ninguém conhece e chora com as histórias do Nicholas Sparks. 
É misteriosa também. Corta o cabelo de acordo com as fases da lua e se lhe apetecer come massa com feijão. Não é esquisita. De Verão por vezes, liga o ar condicionado porque gosta de dormir a sentir o frio e acaba por adormecer como um esquimó com meias e edredon. Uma linda esquimó por sinal. Costuma atender as chamadas somente após a quarta tentativa de ligação. Não, ela não as ignora. Ela perde é tempo a procurar o telemóvel na bolsa, debaixo da cama ou na pia da casa de banho. Mas, de vez em quando, ela sabe ignorar também. Diz que não sabe dançar. Recusa os convites, mas adora ser convidada. 
Mas porque é que ninguém conseguiu ultrapassar esse muro de Berlim que ela ergueu no seu peito? Ela desconversa. Ri pelo canto da boca e pergunta-me se eu fumo tentando desviar o assunto para longe. Eu insisto. Falo coisas fora de moda atiro ao ar o facto de  achá-la perfeita demais para não andar com algum sortudo lado-a-lado. Ela empina o nariz  fino, lança-me os seus olhos escuros brilhantes e ajeita-se sobre a mesa. Muda o tom e diz-me: 
“Porque eu não quero”.
E eu rio, sem graça, da minha maldita ideia de achar que todo mundo quer ter alguém para dividir os brownies.

[Hugo Rodrigues]

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Diário de uma viagem # 14 - The end

Aqui começou o calvário



A Via Sacra passa-se entre o bazar, na cidade antiga de Jerusalém.


Gente simpática e acolhedora


A entrada do Santo Sepulcro. Impossível prever a grandiosidade que nos espera.



Interior do Santo Sepulcro. Pedra onde Jesus terá sido ungido depois de descer da cruz. Muito intenso...


Interior do Santo Sepulcro. Entrada na Capela do Anjo, onde o Anjo anunciou a ressurreição de Jesus. No interior, temos acesso ao lugar onde Jesus foi sepultado


Na rua, frio e chuva


E para despedida uma corrida à chuva...


The end

:(

Diário de uma viagem # 13

Candelabro, símbolo de Israel, já foi um dos elementos mais significativos do culto judaico.



Outro símbolo de Israel... buracos de balas nas paredes.


Aproveitando o último dia em Jerusalém


Há ruas assim...


Ruelas...


Rei David


Cemitério Judaico



Vista sobre a cidade... o Adeus está próximo.


Diário de uma viagem # 12


Faixa de Gaza...



Belém - Palestina



Interior da Basílica da Natividade, em Belém. Candeeiros oferecidos pela família Romanov.


Basílica da Natividade, no local onde se celebra o nascimento de Jesus Cristo


Diário de uma viagem # 11

Maquete da Antiga Cidade de Jerusalém.



Cidade de Ein Karen, na Judeia, Santuário da Visitação. Relembra a visita de Maria a sua prima Isabel.



Subida até ao Santuário da Visitação, em Ein Karen


Eu a as primas, Maria e Isabel.


Santuário de São João Baptista, em Ein Karen, com vista para o Santuário da Visitação .


Pelo meio apanhamos com uma tempestade de areia...


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Diário de uma viagem # 10

Igreja da Agonia

Betânia, à chuva...


Nota-se muito que estamos na Palestina?...


Uma Mesquita... em Betânia. 


Muro das Lamentações, com as suas pedras do tempo de Herodes .


Aqui não existem religiões... só existem pessoas, que oram, lamentam e choram... eu não lamentei, agradeci!


Mulheres de um lado... homens de outro...


Um autóctone.



Diário de uma viagem # 8

Quase ninguém resistiu a este mar...


Mas como eu não fui, ele veio ter comigo...


Só mais esta... e já com saudades.