terça-feira, 18 de julho de 2017

Sobre os anónimos que por aqui vagueiam...





Toda a gente sabe que existem pessoas que se acham mais do que aquilo que são.
E que achando ou querendo parecer que acham, têm de deitar os outros abaixo para subirem um patamar.
Ora daqui só podem sair dois resultados, os que se deixam abater e caem deprimidos, e os que, como eu, por muitas cobras que lhes atirem são imunes à mordedura.
Percebendo que não vale a pena gastar o nosso latim com pessoas que não vão conseguir atingir o que vamos dizer, e que  nunca serão um terço da pessoa que somos, mais vale ficarmos calados.
E em boa língua portuguesa, o cagar e andar é a melhor coisa a aplicar, até porque eu sempre ouvi dizer que vozes de burro não chegam aos céus.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Já faz alguns anos que nos deixaste...







... mas continuas sempre presente no nosso coração.
Falamos em ti quando vamos a lugares de que gostávamos de visitar juntos.
Pensamos em ti quando temos sucessos, ou quando brindamos a vitórias alcançadas.
Falamos sobre ti quando tivemos uma última multa.
E rimos... rimos muito, porque nos lembramos daquela vez...
Aquela... em que desafiaste o policia quando resolveste fazer um "quatro" cambaleando.
 Eras e serás sempre uma pessoa muito especial para todos nós.
Fazes-nos falta meu amigo.
É verdade!
Sentimo-nos tristes por não partilharmos contigo muitos assuntos mas temos o gosto de ter feito muitas coisas importantes contigo.
Mesmo sentindo a tua falta continuamos a divertir-nos, porque era assim que querias que fosse, porque a vida não acaba para todos, só para alguns, como sempre fazias questão de frisar...
Sabes...continuamos a discutir, e às vezes zanga-mo-nos mas fazemos logo as pazes como tu fazias.
A tua presença continua tão próxima.
A tua gargalhada sempre tão genuína continua a ecoar nos nossos ouvidos.
Estás aqui... num cantinho especial dos nossos corações.
Porque...
Existem lugares que nunca voltarão a ser preenchidos.
Ficam ocupados por quem lá esteve.
Pertencem a quem deixou recordações.
As memórias preenchem a sua falta.
As recordações ocupam o vazio deixado.

( O teu continua vazio...)

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Coisas minhas...




Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, ou quantas vezes seja preciso recomeçar.
Combinei comigo não desistir de mim.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Coisas que tenho a certeza só acontecem com a minha pessoa...





Sabes que estás no wc errado quando...
Empurras a porta e vês urinóis
e tens uma voz masculina divertida e sorridente atrás de ti a perguntar:
"perdida?"...

Ups...