sexta-feira, 19 de agosto de 2016

É curioso como certas verdades vêm até nós...



 Nem precisamos de nos incomodar a procurá-las! Pode demorar um dia, um mês ou neste caso mais de três anos, mas quando tem de chegar a nós, chega! 
Da maneira mais inesperada por vezes!
O mais curioso, é que na hora da verdade apenas confirmamos suspeitas antigas. Temos nesse momento a certeza de que o nosso instinto e intuição são mais apurados do que nós pensávamos. Porque se assim não fosse, a verdade que hoje chegou até mim tinha provocado um choque, ou espanto. Mas não. Apenas sorri. Sorri como quem bebe um trago de vinho azedo sabendo que agora tenho a garrafa do vinho bom. Sorri sabendo que afinal não me enganei.
E se durante alguns anos fechei os olhos ao que não quis ver, ou mandei calar a voz da minha intuição, fi-lo na certeza de que aquela voz era sem dúvida a voz da razão. Eu já sabia disso. Apenas dei prioridade ao coração.
Hoje tive a confirmação que os meus sentidos não me falham. E cheguei à conclusão que a maioria das vezes, nós sabemos a verdade mas escolhemos ignorá-la. Ainda que durante estes três últimos anos me tenha questionado várias vezes sobre "as verdades" que suspeitava existirem, não foi porque não as soubesse, mas porque queria acreditar que não.
Ouvir. 
Confirmar. 
Ter certeza absoluta da conduta de alguém em relação a nós no passado podia ser doloroso. Podia. Mas eu apenas sorri!
Julgo que diz tudo...

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Fiz anos...




E soube-me tão bem. Não me lembro de dar tanto significado a este dia mas este ano soube-me bem. Gostei de acordar, de estar com os meus e de voltar a cair na cama. Gostei das mensagens, dos telefonemas, dos presentes, das lembranças e nem senti realmente falta de ninguém mesmo havendo sempre quem falte. Pedi desejos, que peço todos os dias, mas que espero que desta vez o universo leve a sério e conspire a favor. Fui mais social do que em todos os anos juntos e finalmente perdi a conta às notificações que recebi 
(sim é fútil mas é fixe)
Foi realmente um dia feliz. Gostei realmente de fazer 35 (not) mesmo parecendo ter 5 como a minha mãe sempre dizia. Não sei se será este O ano como ela sempre me fazia acreditar, mas tenho a certeza que o comecei do jeito certo.

Parabéns a mim!