sábado, 31 de janeiro de 2015




Gosto de mimos secretos… daqueles que… cada toque… cada olhar… cada gesto e cada sussurro… têm uma história, um passado, um momento….…



sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Retalhos de uma noite



Ontem voltei a ver-te.
Senti o teu olhar a procurar-me numa sala cheia de gente... 
Como é possível ainda teres esse poder sobre mim.
Raios... ainda me consegues fazer estremecer só com o olhar.
Numa fracção de segundos pensei: "Não sorrias por favor..."
Tarde demais... lançaste-me um sorriso que desarma até o exército norte americano.
Levantas o braço em sinal que queres conversar. Faço-te sinal para esperares, a aula está quase no fim...
Olho-te de soslaio, ainda consigo vislumbrar aquele menino por quem me apaixonei um dia, estás mais velho é certo, os cabelos vão começando a esbranquiçar, os ombros estão  arqueados, afinal a vida também te pesou.
Como num filme, o passado passa-me à frente, sem legendas, só com imagens.
Nada do que tens para me dizer será novidade, conheço a tua conversa.
Que não me esqueceste, que me queres de volta, que sempre me amaste.
Mas a única coisa que vais conseguir é fazer  renascer em mim a dor, a desilusão, a mágoa, a tristeza...
Olho-te mais uma vez, vejo-te triste... sinto-te perdido...
 Saio apressada do ginásio, é tarde...  estás parado na minha frente, numa mão seguras o cigarro quase apagado na outra o velho isqueiro  roda à velocidade das batidas do coração.

Perguntas-me: Podemos falar?
Respondo: Hoje não, é tarde, estou cansada...!

Voltando para casa lembrei-me de um soneto da Florbela Espanca... que demonstra bem o que sinto.

"Ódio por Ele? Não ... Se o amei tanto,
Se tanto bem Ihe quis no meu passado,
Se o encontrei depois de o ter sonhado,
Se à vida assim roubei todo o encanto,

Que importa se mentiu? E se hoje o pranto
Turva o meu triste olhar, marmorizado,
Olhar de monja, trágico, gelado
Com um soturno e enorme Campo Santo!

Nunca mais o amar já é bastante! 
Quero senti-lo doutra, bem distante, 
Como se fora meu, calma e serena! 

Ódio seria em mim saudade infinda, 
Mágoa de o ter perdido, amor ainda! 
Ódio por Ele? Não... não vale a pena... "

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Conselhos maternos

[Ah e tal podias ter escolhido outra foto, pois podia... mas não tinha o mesmo impacto]



Cresci a ouvir a minha mãe a dizer-me sempre o mesmo: 
" Usa sempre roupa interior bonita! Se não o fizeres e  te acontecer algo (acidente/atropelada... que mãe simpática que tenho) e te levarem ao hospital ainda vais morrer de vergonha com o que trouxeres vestido por dentro..."
Eu tenho sérias duvidas que em qualquer uma das situações em que me atirassem para dentro de uma ambulância a minha maior preocupação fosse a roupa interior. 
Mas em todo o caso é sempre melhor aparecer no nosso melhor, seja em que condições for... Por isso dou-lhe razão.
É melhor deixar as meias rotas, as cuecas desfiadas e os sutiãs desbotados de lado!

Ai a língua portuguesa




Um famoso radialista disse agora mesmo que ia acender o computador, até agora fiquei sem saber se o software pegou fogo ou não...

A sério???

E a provinciana sou eu...!!!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

carros e casamentos


Já alguma vez experimentaram ligar para um destes números?


Tenho uma amiga que o fez, acabou casada com o condutor.

Parva!!!

Se tivesse respeitado as regras de trânsito, ainda hoje estava solteira.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015


 
(Qualquer semelhança entre a foto e o texto é pura coincidência)



Estou só, nesta imensa praia Africana...
Rodopio, salto, danço...
Ao som do mar e ao compasso sensual das ondas, a água que molha meus pés é morna,
assim como a música que ouço lá ao fundo...
Sinto um corpo a envolver-me, forte, firme, cor de ébano...
Pega em minha mão e faz-me rodopiar, fico de frente para ele, e os olhos grandes e negros que me olham, são os mais lindos que já vi...
A sua boca semi aberta deixa adivinhar um sorriso tão meigo, que me deixou encantada!
Fiquei enfeitiçada, por este jovem príncipe africano!
Quando seus lábios, tocaram levemente a minha pele, eu não tive mais dúvidas...
O paraíso existe!
Delicadamente, as suas mãos começaram a deslizar, explorando cada milímetro do meu corpo, vigorosas, meigas, quentes...
Tão quentes como esta noite...
Tão quentes como a África...
Desnuda meu corpo e minha alma, e eu entrego-me sem resistência...
Nossos corpos movimentam-se ao som do mar, e ao ritmo da "Morna", que se ouve lá ao fundo...
Naquele momento, somos só dois seres unidos no desejo, que nos incendeia por dentro...
Dois amantes, sem idade, sem nacionalidade, sem cor!...
Ali, naquela praia...
Naquela noite...
Existiu paixão...
Fez-se Amor!

Lírio 2008

Encontro adiado


Combinamos assim...
Primeiro chegas tu, e logo a seguir eu, ou então chegamos em simultâneo, tanto faz!
E quando ficarmos frente a frente olhamo-nos nos olhos e sorrimos. 
Aproximamo-nos devagar ou depressa, não vou prometer nada, logo se vê, mas de uma coisa tenho a certeza, não te darei um beijo na face, nem saberia como fazê-lo contigo.
Os narizes iriam chocar um com o outro para o mesmo lado, e os lábios perseguir-se-iam desenfreados...
Não!!
A sério, não consigo.
Pode ser um abraço apertado, uma palmada nas costas, um aperto de mão... sei lá, o que quiseres.
Pode até ser que te derrube com a excitação do momento e acabemos os dois por rebolar no chão, ou na água... em qualquer lugar. 
Desde que caiamos juntos, tanto se me dá a confusão.
Agora um beijo na cara é que não!!
Desculpa, não consigo!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Avó do meu coração



Se de repente a tua avó, que vive a mais de 3000 kms de distância te liga para te dizer que te arranjou um namorado isso é... no mínimo...incompetência amorosa!
E ficas com a certeza que bateste no fundo do poço, e de cabeça!
Das duas, uma, ou ela duvida das minhas capacidades, ou está a levar demasiado a sério as suas competências como avó.
Mas isso até nem seria o pior, visto que eu já por diversas vezes confessei a minha incapacidade neste assunto no que respeita a escolhas.
O mau mesmo, é que ela está a recuperar numa clínica, e qualquer fututo/pretenso candidato está com certeza ligado a uma qualquer área da saúde.
Ora bem... por estas alturas, a minha relação com a classe médica, assemelha-se muito à do Ministro Paulo Macedo, está no mínimo conturbada.
É nestas ocasiões que lamento o facto de não ter uma avó tradicional, daquelas que fazem compotas e vão ao domingo à missa.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Só eu e a Lua



Sentada na praia, fixo o horizonte...
E assisto uma vez mais ao triste ritual, de ver o Sol esconder-se, e a Lua a aparecer...
Os eternos amantes, nunca se encontram...
Sinto-me invadir por um sentimento que não sei explicar...
Fico triste, por ela, por mim...
Mas admiro a sua coragem em brilhar todas as noites, mesmo tendo-lhe sido retirado o direito de amar!
Invejo o seu brilho, a sua alegria, a sua majestade...
Queria tanto ser como ela...
E não estar aqui sentada, a esperar por ti...
Perdi a conta ao tempo que espero por ti em vão, parece que foi ontem que partiste...
Mas pode ter sido há 10 anos, 1 ano, 1 mês... Não sei!
Sei que a espera é inútil, que não vens, mas gosto de olhar a Lua, o mar, o movimento das ondas...
Hoje a inspiração não chega e deixo cair o bloco e a caneta!
Fecho os olhos e respiro fundo!
O ar meio salgado, invade os meus pulmões, e inebria-me a alma...
Imagino tuas mãos a tocarem minha pele, num jeito meio atrevido... só teu!
Deixo-me levar por esse sentir imaginário... e deixo-te explorar cada canto do meu corpo carente de ti...
Encosto-me na areia, mas o que sinto é o calor do teu corpo, consigo escutar o pulsar do teu coração...
E, ali, naquela praia deserta, tendo somente a Lua como testemunha, eu entrego-me a um amor feito de fantasia e sonhos!
Abro os olhos, e a Lua está mesmo por cima de mim...
Olha-me com tristeza...
Duas lágrimas quentes, escorrem pelo canto dos meus olhos cansados, e caem sem vida na areia fria...
Esta noite, o bloco de notas volta em branco para casa...
Faltou inspiração...
Sobrou sentimento...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Meninas, vamos proteger os animais...



E pronto... era só para vos desejar um excelente fim de semana.

Haja inspiração... OMG :))

Amizade colorida



Há qualquer coisa de enigmático que se esconde por detrás da falsa indiferença que ambos fazem questão de mostrar. 
Talvez no indizível dos pensamentos...
É uma espécie de jogo de sedução, mortalmente perigoso e cuja única regra se impõe pelo silencio que a rege e algo me diz que nenhum dos dois se atreverá a quebra-la, jamais!
Obrigados a permanecer frente a frente, sem terem para onde fugir, não terão outro remédio que não seja o de arriscar no jogo que servirá também para testar as suas resistências. Por isso, serão jogadores mudos até ao resto da vida, cientes de que nada mais haverá para ganhar, além daquilo que todos os dias irão perdendo e que já conta desde o início, logo após o fim...
Trocaram a amizade saudável que tinham por uma leviandade, por um capricho, por um impulso, por uma paixão... e se algum dia ganharam, certamente que o peso da perda será sempre maior do que o do ganho.


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Atenção pessoal...



Toda a gente sabe que as laranjas do Algarve são as melhores.

As "calmantinas" então nem se fala, protegem-nos da gripe que é um mimo.

E assim vai a minha santa terrinha... oh Cristo... 


Vestido preto



"Fiz-te a vontade e vesti-o, mas arrependi-me!
É preto e provocante, não me descreve.
Sou uma mulher moderna, levo uma vida bruta e muito masculina.
Mas fui eu que a escolhi.
Saio sempre de casa atrasada, sem maquilhagem, só com um brilho nos lábios!
Almoço num snack qualquer, encostada ao balcão, e termino com um doce, para me compensar dos outros pecados que não cometi.
A alternativa que me dás, é a de ficar em casa, a limpá-la...
e a vestir vestidos decotados ao fim de semana, passando de gata borralheira, a cinderela!
Não me apetece!
Vesti-o por ti, e não por mim...
Vê no que deu!
Passámos a noite a embirrar um com o outro, eu e o vestido.
Querias-me frágil e sedutora, mas eu comecei a noite com uma malha nas meias, logo à saída do carro.
E, logo à entrada da festa, perdi a capa do sapato, o que me fez dançar toda a noite coxa...
Durante o jantar, sujei a manga com o molho da carne...
Não sou frágil, nem sedutora, nem sequer divertida...
Só me ri uma única vez, e foi quando olhei para ti, e dei de caras com o teu olhar desapontado!
Desiste!!
Não me voltes a pedir, depois de um dia de trabalho, que me mascare de Marilyn Monroe. Não me diverte, ela morreu sozinha, com a cara suja de rimel, e o estômago cheio de remédios.
Foi triste!
Fez tudo o que os homens lhe pediram, até operações ao maxilar, para ficar mais bonita...
Mas isso não é coisa que vos preocupe, ou vos tire o sono, saber porque ela se matou!
Não sei quem vai ganhar esta batalha, se ela se eu...
Eu continuarei a sair de casa, todas as manhãs, atrasada, e desmaquilhada, não sou estrela, tens de perceber isso, sou uma mulher do meu tempo, cansada e apressada, e a única coisa que peço é que me deixem ser eu...
Prefiro ver-te a olhar para todas as miúdas com os ombros e o umbigo à mostra, arriscando-me a que um dia, corras atrás de uma delas..."

[Rita Ferro]

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Eu sabia que estava no caminho certo...

Vou viver até aos 100 anos
alguém duvida??

Então leiam isto

Coisas do passado


O Sol já acordou...
Lá fora, o vento sopra com agressividade...
Aqui, dentro do meu mundo... O sono não chegou!...
Passados tantos anos, ainda sinto a tua ausência!
Sentada no chão, guardo na mão, uma folha de papel...
Amachucada pelo tempo, e pelas vezes que tentei jogá-la fora, sem sucesso.
Não consigo, livrar-me de três  palavras, que deixaste escritas...
"NÃO LEVO NADA"
Naquele dia, li e tornei a ler...
Fiquei incrédula,
Paralisada, Confusa, Revoltada.
Não! Não podia ser.
Não podias ter saído da minha vida, assim...
Sem um beijo de despedida.
Sem um abraço
Sem um adeus
Sem um motivo
Deixaste-me só!
Desesperadamente só!
Lá fora o vento não dá tréguas às árvores que roçam com seus ramos a minha janela, mantendo-me acordada...
Lentamente abro a mão, e a folha cai no chão...
E, pela milésima vez, leio a frase...
"NÃO LEVO NADA"
Não levaste nada?????????
Como te enganas...
Levaste tudo!
Levaste a minha juventude, os meus sonhos, as minhas esperanças, a minha alegria, o meu sorriso, e levaste também a minha capacidade de amar, de acreditar...
Mas hoje descobri que já consigo recordar o passado sem chorar!
Acho que esgotei as lágrimas.
Esta manhã, em que pela primeira vez, consigo escrever sobre o assunto, elas já não caíram.
Secaram de desgosto.
Lá fora o vento acalmou...
O meu coração está mais leve.
Voltei a sorrir.
Um dia ainda vou olhar, para a tua carta, e concordar contigo...
NÃO LEVASTE NADA!
ABSOLUTAMENTE NADA!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Reciclando...




Lembro-me dos teus olhos cor de mar, (dizias que era por viveres perto do oceano) do teu sorriso aberto, mas lembro-me principalmente do teu olhar, aquele onde escondias todos os sonhos do teu mundo.
E o mundo era o teu grande sonho!...
Falavas dele como se o conhecesses, mas nunca tinhas saído do bairro onde morávamos, os jornais mostravam uma realidade que tu querias fosse a tua…
E de olhar perdido no horizonte, sonhavas com o dia em que serias um grande jornalista, um contador de “estórias”, um escritor de sonhos…
No fundo eu sabia que te perderia para uma qualquer página de um daqueles jornais que tão avidamente sorvias com o olhar…
Aquele olhar de menino rebelde que eu tanto amava.
Ainda sinto o calor dos teus lábios a limpar-me as lágrimas depois de um qualquer desgosto adolescente, e prometias-me o céu…
Mas a vida encarregou-se de matar todas as promessas.
E um dia… partiste!
Levaste a mochila cheia de sonhos e deixaste um coração vazio de promessas!
Penso sempre em ti, onde estarás agora… quantos olhares já cativaste com o teu sorriso!
A nossa árvore ainda existe, o velho carvalho que nos acolhia ao fim da tarde ainda guarda as nossas iniciais que tu esculpiste como símbolo do nosso amor, as letras estão desgastadas pelo tempo, tal como eu…
Ainda passo por lá de vez em quando na esperança de te encontrar um dia…
Imagino se ainda te lembrarás de mim… Se tal como eu sentes saudade de tudo o que o velho carvalho representava para nós…
Leio cada reportagem tua, na expectativa de me encontrar nas entrelinhas…
Procuro a tua saudade a cada palavra que escreves… Mas só falas em guerra, fome, catástrofes e morte…
Suponho que ainda terás os olhos cor do mar, embora vivas longe do oceano, e que o teu sorriso ainda fará palpitar corações…

Hoje olho-te à distância de um passado que o tempo teima em não deixar esquecer…

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Gente pobre...




Há pessoas que não se convencem que entre a frontalidade e a má educação 
a diferença pode ser muito pequena.
Há pessoas que não se convencem que não podem dizer tudo o que lhes passa pela cabeça
porque a liberdade delas acaba onde começa a dos outros.
Há pessoas que não se convencem que tudo nesta vida tem consequências!

domingo, 18 de janeiro de 2015

A quem servir a carapuça





As pessoas não têm culpa de serem ignorantes. 
 Nem todas têm acesso ao mesmo e como tal não devem ser julgadas por isso. Agora, o que eu não tolero, é gente com a mania que são o suprassumo da macacada mas que valem zero. 
Nem a ponta de um corno!!!!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015



Quando a emoção não tem juízo...
Eu tento e tento e planeio e prometo e penso e repenso que para a próxima "não vou ser emocional" e "vou controlar as minhas reacções de uma forma política". 
Tento, tento muito, mas depois na hora H, lá se vão as notas mentais e simplesmente fico "eu" na minha transparência de sentimentos e reacções.
E hoje mais uma vez infelizmente fui assim....
Aiii tenho que aprender, tenho, tenho!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Há dias assim.
Terríveis...
Dias que não chegam ao fim e quando chegam, parece que ainda nem começaram.
A cabeça num rodopio, os nervos miudinhos a aflorarem a pele.
Dias como o de hoje em que só queria...
Não sei. Nem sequer sei o que queria.
Talvez que tudo ficasse suspenso.
Como os jardins da Babilónia em jeito de maravilha.
Como quando em crianças inspiramos muito antes de mergulhar e nem sabemos o que aconteceu, como se não existíssemos lá em baixo.
Apenas sabemos que estivemos debaixo de água quando os olhos aflitos e a respiração a encher de rompante os pulmões, quando já à tona de água.
Como um inspirar de vida e depois, nada.
Ir ali só para morrer um bocadinho e depois voltar.
Sabem como é?
Talvez que o mundo parasse.
O relógio ficasse quieto, que ao meu redor tudo ficasse mudo.
Para não ouvir.
Para não sentir.
Para não falar.
Para não pensar.
Não sorrir.
Não amar.
Nada.
Ficar encolhida num canto sem medo de nada porque nada mexe, nada avança, nada existe.
Quieta apenas.
Dias em que pudesse por momentos, não viver.
Hoje, não me apetece viver.
Sem que isso signifique morrer ou querer morrer.
Deve soar-vos estranho.

Mas hoje, nem sequer quero explicar...

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

.........


Às vezes apetece-me esconder num lugar onde só cabe uma pessoa...
 

Porque existem pessoas assim...


Que se intitulam de frias, insensíveis, desbocadas, directas...

blá...blá..blá...


Mas no fundo têm um coração do tamanho do mundo



Como tu

Obrigada Mam'Zelle por te lembrares de mim :)


[Afinal não sou tão má pessoa quanto aparento]

Em Espanha é assim...



O sr João da mercearia da esquina devia tomar a mesma decisão
podia ser que assim o raio das velhas deixassem de apalpar (ou não)  
os tomates que vou comprar a seguir...
Poupava litros de vinagre!!!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

All i want today is...



...Quiet...

...Silence...

...Calm...

...Just wishing the rain to come all over me...

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Para quem nunca esqueceu o primeiro beijo...



BOM FIM DE SEMANA A TODOS

DIVIRTAM-SE... BEIJOS...

Aqueles dias... como...



Hoje... 
Estou com uma visão tão negativa de tudo que nem um cheesecake de morango à minha frente, todo só para mim, me iria parecer uma coisa boa. 

(bem, e daí... se alguém quiser mandar-me um na mesma, eu não digo que não.)

Vá, pelo menos que o Benfica não perca.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A isto eu chamo serviço personalizado...



Confessem lá que estão com um tiquinho de ciúmes... :P
Também queriam um Ricardo nas vossas vidas

Arreeeeeeeeee....que já é perseguição...

Hoje pela primeira vez o meu bólide falou comigo...

Para me informar que havia perigo de gelo...

A sério?????


Estúpido...

E que tal se me dissesses algo que eu ainda não saiba

Tipo... a chave do euromilhões!

Boa?...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O prometido é devido...


CHOCOLATE PRETO PARA A CATARINA!!!


Sugar free... :)

Quem é amiga, quem é??

Ai a merda...

(dou um doce a quem me descobrir aí...)


Os karmas estão de mal comigo, estão mesmo. Sabem aquele nhó nhó nhó super fixe que diz que acidentalmente nos podemos cruzar com alguém que já não estamos a espera, lindas, arranjadas e com uns 10cm em cada pé; aquela coisa gira de recebermos uma chamada ou mensagem de alguém quase esquecido e que nos faz pensar "sou mesmo boa, mesmo já estando nas tintas para ti"; sei lá, coisas dessas... que só acontecem nos filmes, e nunca na minha rica vida. Quando já começo a acreditar que isso não existe,e que se calhar sou mesmo eu que tenho de manipular um ou outro acontecimento, qual estratega de alto gabarito, eis que o destino lá vem e diz:
"calma lá miúda que aqui estou eu para te presentear, só vais é estar descabelada e "mal" vestida". 
E foi mais ou menos isto que aconteceu...
Vou sempre à pressa para o gym, sim já desisti de chegar a horas porque há sempre qualquer contratempo e, parecendo que não, enquanto corro vou fazendo um pré aquecimento. Hoje não foi excepção. Vesti-me em cinco minutos (só por aí mostra que não deu para escolher o melhor outfit) e pus-me lá noutros cinco. Ligo-lhe e ela não me atende. Pronto, não é hoje que pomos a conversa em dia mas lá continuei rumo à inesperada desgraça. Passo por ele mas não quis crer. Sósias pensei eu. Fui buscar o material, pus-me pronta e lá passa a criatura. "Não, claro que não é ora essa. Lá por lhe conhecer bem as feições, e a altura e...(nada mais infelizmente), não quer dizer que seja ele". O meu esforço foi notável, não quis confirmar mas mentalizava-me que de todas as vezes que nos podíamos ter cruzado não ia ser ali. Eu não merecia tamanha crueldade - pois, achei eu. Era, confirmou-se. Duas ou três piadas e um desfile digno de passerelle depois, lá se confirmou. O meu tão querido  admirador estava ali e mais uma vez passar por mim cabisbaixo, que  é o que faz de melhor. Pior seria se fizesse a minha aula, confesso, mas lá se pôs a andar antes dela começar - bendito seja. 
Bem, eu posso não ter estado na minha melhor forma (se bem que tem de haver algum realce interessante no conjunto de leggings e t-shirt - se encontrarem-no digam-me por favor), mas, cá entre nós, espero que engordes os tais 20 kg e não escolhas mais o meu gym para te livrares deles. 
Afinal de contas, eu cheguei primeiro.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Regressar ao gym



Depois de um mês parada dói p'ra caraças.
O que vale é que os PT's são cada vez mais novos.
Ai catano... crime... devia ser crime!!
Já não tenho pedalada para tanta juventude junta.

Isto sim é sofrer...



Sofrer em silêncio não é termos perdido o amor da nossa vida.
Sofrer em silêncio não é ninguém gostar de nós.
Sofrer em silêncio não é termos saudades de alguém.

Sofrer em silêncio é bater com o dedo molhado e gelado com toda a força contra uma superfície super dura, e não poder gritar em plenos pulmões 54 asneiras seguidas.


Isso sim, é sofrer em silêncio.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Epahh adoro esta foto... tinha de lhe dar uso!!!


Já estou cansada de ouvir o comentário: 
"Tu tens cá um feitio" dito por várias bocas, ao longo dos tempos. 
E também é verdade que eu própria assumo, com leveza e até orgulho, os aspectos vincados da minha personalidade. 
Mas juro que nunca tinha percebido ser capaz de me tornar intimidante aos olhos dos outros. 

And it came as a surprise. 

Devo ter andado a fazer alguma coisa errada, só pode.

Talvez um dia me descubram diferente...
Quando alguém se der ao trabalho de olhar para além das aparências...