domingo, 30 de novembro de 2014

 

Nos olhos, o castanho, desafia o sonho
Na boca carmim, gorjeios de criança
E na aura, o mistério que a tudo resiste!

É tímido, o jeito, com que enfrenta e insiste
Mas corre-lhe nas veias, o ardor da mudança
Ilude quem pensa que, por pouco, se cansa
É Mulher – Guerreira! Não teme, ou desiste!

Libertina em sonhos, excessiva em emoção
Umas vezes, “iceberg”, outras tantas, paixão
Sensível aos afectos, porém, muito esquiva…

Do destino, não foge, mas é filha do vento
Amazona, a galope, na garupa do tempo
Alma peregrina, por esse mundo, à deriva…

sábado, 29 de novembro de 2014


Os Amigos fazem parte dos nossos alicerces emocionais.

São ganhos que a passagem do tempo nos concede.

Falo daqueles, a quem podemos telefonar, não importando onde estejam, nem que horas sejam e dizer: "estou mal, preciso de ti”.

Às vezes nem é preciso dizer nada. Ele, virá ter connosco de carro, de avião, correndo alguns quarteirões a pé, ou simplesmente… ficando ao telefone, o tempo necessário para que nos recuperemos, reencontremos, aprumemos, ou seja lá o que for.

Falo daquelas amizades para as quais, somos apenas nós, pessoas com manias e brincadeiras, eventuais tristezas, erros e acertos.

A amizade é um meio-amor, sem algumas das vantagens dele, mas sem o ónus do ciúme – o que é, cá entre nós, uma bela vantagem. Ser amigo, é rirmos juntos, é dar o ombro para chorar, é poder criticar (com carinho), é podermos apresentar o namorado ou a namorada. É podermos aparecer de chinelos, de roupão, é até, poder zangarmo-nos e voltarmos um minuto depois, sem termos que dar explicação.
Amigo, é aquele a quem recorremos quando estamos angustiados, e que chega para nos confortar e nos chama, linda, querida, mesmo que nos estejamos a sentir um trapo.

Ter amigos, é um bem maior e ninguém pode ser feliz, sem eles. 
O  que é bom na amizade, é que não precisamos sacrificar-nos, fazer malabarismos sexuais, inventar desculpas, esconder rugas ou tristezas. Podemos simplesmente, ser nós próprios. Que alívio isso, quando vivemos, num mundo complicado e desanimador, deslumbrante e terrível, fantástico e cansativo. Pois é, o verdadeiro amigo é confiável e estimulante, engraçado e grave, às vezes irritante; pode até se afastar, mas sabemos que volta; ele aguenta-nos e acalma-nos, dá-nos impulso e abrigo, e faz de nós, seres melhores: como um verdadeiro amor.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Ai pahhhh





Aquela secçãozinha irritante do machame que teima em apelidar o mulherio de "gatas", "gatinhas" e afins devia ser vítima de empalamento.
Ponto.

F**a-se, irrita-me!

[eu não sou homicida, tenho só mau feitio]

Fui ao baú do Youtube...



Já tem alguns anos
Mas continua a emocionar-me...

[sim, sou lamechas... so what?]


quinta-feira, 27 de novembro de 2014


Por medo deixei de fazer tanta coisa
E por coragem fiz tanta burrice
Por isso agora eu sou assim...
CONFUSA.

Procuro um lumbersexual...


Ah e tal... que é isso?...
É isto!



É sempre bom voltar às origens...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Resta a solidão...


As palavras esgotaram-se, silenciaram-se as aves sobre as árvores despidas de folhas.
Cai a noite a seguir ao dia e a alma exausta deixa-se ficar... imóvel, vazia.
Hoje não tenho nada para dizer, já não me surgem nas pontas dos dedos as letras que te formavam, não se descobre na tela vazia um único traço de mim, de ti, dos nossos corpos.
O vento sopra, varrendo do chão a poeira que resta. 
Sobras dum fogo extinto, dramas de uma vida abandonada entre nadas.
A voz cala-se, os pensamentos hibernam na letargia de um frio inverno, o coração seca na aridez deste deserto, não te escuto, nem o palpitar do teu coração se faz sentir!
As lágrimas não percorrem mais a planície da minha face, o sal acumula-se no fundo deste lago seco que são os meus olhos.
Não há sonhos, nem presenças constantes, apenas a ausência se perde neste imenso e desolado mundo.
De nós, guardo só aquela fotografia tirada ao pôr-do-sol como última recordação do passado; Âncora, que se prende ainda, no chão vazio deste rio outrora fulgurante.
Agora, estou sozinha...

Simplifiquemos...



Não me dêem a desilusão de uma mentira bonita.

Dêem-me a dor de uma verdade inconveniente.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

NÃO CONCORDO NADA COM A FRASE:
"OS HOMENS SÓ DÃO VALOR QUANDO PERDEM"



EU ACHO É QUE ELES SÓ DÃO VALOR QUANDO APARECE OUTRO.

[Ah pois é... ;)]

Um tal de Murphy...



A vida não se aprende nos livros...
Eu já aprendi que, por muito longa, interminável e aborrecida que a fila de trânsito em que estou enfiada seja, não vale a pena passar para a fila do lado, aquela que anda sempre mais rápido. Porque, no momento em que mudamos de fila, a pensar "epá espera lá que aquela está a andar melhor!", a fila para que passamos torna-se de imediato a fila mais longa, interminável e aborrecida de todas, e aquela de que saímos começa a andar mais rápido. 
Diz que a isto se chama leis de Murphy, e eu não sei quem foi esse senhor, mas parece que percebia umas coisas.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014


Cá em casa ninguém percebe porque dou pulos de alegria quando recebo um livro novo.
Lá fora ninguém entende como gosto de histórias de amor.
Afinal, nem eu sei como! 
Mas gosto muito....

Algures em Aveiro...



Dias...






Hoje estou assim....vazia!
Tenho que ir ao sotão, abrir o baú...e escolher o sorriso para hoje.
Não posso nem quero mostrar o que sinto e sem essa máscara não consigo.
Hoje estou assim....vazia!
Apetece-me gritar, partir tudo...mas faço-o atrás do sorriso
Assim só eu o sinto!
Hoje estou assim...vazia!

sábado, 22 de novembro de 2014

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Para alguém que me partiu o coração...




Não me partiste o coração, foste partindo. Não posso identificar o dia porque foram vários. Nem tão pouco um momento porque foram inúmeros. 
Mas a questão não passa por calendarizar no tempo, passa antes por tentar consertar o que quebraste, mesmo sabendo no quão pouco possível isso é. Tinhas a minha história nas tuas mãos e a minha vida ao teu lado. 
Que se f***, há companhias melhores! - é assim que identifico a tua chaga. Mas isso não se faz. Não se vira as costas a quem gosta de nós e a quem prometemos lealdade. 
Não se pára de defender e, pior ainda, se junta ao inimigo. 
Porque quem magoava uma, magoava a outra. 
Disseste-me um dia que quando te perguntavam o que se tinha passado entre nós tu não sabias o que responder. Mas isso não é nada, quando eu tenho que me responder ao porquê de teres falhado de tal maneira, e nunca mas nunca encontrar resposta. Talvez a culpa seja da esperança, de ter alimentado a ideia de que um dia me virias pedir desculpa ou, mesmo sem elas, voltasses. 
Mas acho que até a esperança morreu, e ambas sabemos que quando o último protagonista morre, o filme chega o fim.
O enredo é simples. Não estiveste lá para ler o mais nobre silêncio nem para dar o abraço sem questionar a sua causa. Não ajudaste a percorrer caminhos ou a elaborar outros trilhos. Não me viste a vencer etapas nem tão pouco a falhar. Não te levantaste para aplaudir os sucessos nem te sentaste a chorar as derrotas. 
Simplesmente não estiveste e pior do que isso é não valer a pena contar-te. Sei que é recíproco mas a grande diferença é que não fui eu que me afastei e não se pode chegar perto de quem não deixa.


Foste irmã... Enquanto foste.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014



Abraça-me. Quero ouvir o vento que vem da tua pele, e ver o sol nascer do intenso calor dos nossos corpos. Quando me perfumo assim, em ti, nada existe a não ser este relâmpago feliz, esta maçã azul que foi colhida na palidez de todos os caminhos, e que ambos mordemos para provar o sabor que tem a carne incandescente das estrelas. Abraça-me. Veste o meu corpo de ti, para que em ti eu possa buscar o sentido dos sentidos, o sentido da vida. Procura-me com os teus antigos braços de criança, para desamarrar em mim a eternidade, essa soma formidável de todos os momentos livres que a um e a outro pertenceram. Abraça-me. Quero morrer de ti em mim, espantado de amor. Dá-me a beber, antes, a água dos teus beijos, para que possa levá-la comigo e oferecê-la aos astros pequeninos. 

Só essa água fará reconhecer o mais profundo, o mais intenso amor do universo, e eu quero que delem fiquem a saber até as estrelas mais antigas e brilhantes. 

                         Abraça-me. Uma vez só. Uma vez mais. 
                          Uma vez que nem sei se tu existes. 

 
                                                                                          Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'


Incompatibilidades entre as unhas de gel e os ecrãs tacteis dos telemóveis...


10.00 da manhã, a Lírio Maria pega no telemóvel para confirmar uma reunião para depois do almoço.
Até aí, nada de anormal.
Do outro lado atende-me uma voz inconfundivelmente ensonada.

-Bom dia, é o Eng. F....
-Não! Enganou-se.
-Lamento o incomodo, desculpe... e desliguei.

Raios... mas este é o numero dele... fui confirmar...não era... em vez do 5, marquei 2.

Paciência, remarquei desta vez o numero certo e combinei tudo com a pessoa em questão.

10 minutos depois, recebo um sms:

"Podia acordar todos os dias com o som da sua voz"

Era o homem do numero errado... 

Ora bem meu caro amigo:

Se pagar bem, não me importo nada de lhe ligar todos os dias às 10.
Excluindo o fim de semana, sim? Porque uma pessoa não é de ferro e precisa descansar...

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Só para os curiosos... :)

AVISO...

O assinante que tentou contactar agora pertence à...

raios parta!!!

Mas vocês não conhecem uma palavra chamada...

F.I.D.E.L.I.D.A.D.E

Epahhh que nervos!!!!

(favor não me contactarem no próximo mês para não ouvirem o diabo da mulher dizer que mudei para a NOS)

Pronto(s) aderi às modernices, castiguem-me vá...
 


Meninos...mentalizem-se disto!



As mulheres não querem mártires na cama, querem homens.

Se assim não fosse, estávamos todas casadas com o nosso melhor amigo.


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Podes crer que assim será... ou pagas o jantar ou...


Pronto! O post fica... a foto sai. Acabou o tempo...





Não gosto de insinuações, sou verdadeira.

Não abro mão dos meus sonhos, sou obstinada. 
Não vivo sem uma motivação, sou apaixonada. 
Não sei disfarçar o que sinto, sou transparente. 
Não me importo com a opinião alheia, sou indiferente. 
Não julgo as pessoas que erram, sou imparcial. 
Não sou melhor que ninguém, sou normal. 
Não tentes ler meu pensamento, sou confusão. 
Não sou propriedade de ninguém, sou de mim própria
Não queiras cortar as minhas asas, sou sentimento.

sábado, 15 de novembro de 2014

Ó Lírio Maria... que fazes tu em casa ao sábado à noite? Rezo...pois tá claro!


O Tamanho Conta?!
Conta sim! Não venham cá com fitas que não conta, porque conta! Eu falo por mim. Não gosto deles pequenos. Não gosto. E não digam que o que se faz com ele é que conta! Não, não, não e não. O tamanho conta. E quando olho para um pequeno, faço logo careta. Menos de 10cm, não gosto! Mais de 10cm, faz doer as costas! Vá, 10cm é o ideal!
Não acham? É pouco?
É claro que falo de saltos de sapatos, que mais?
Tudo a rezar 37 Avé-Marias e 41 Pais-Nossos.

Segundo minha a família...


…é uma arte que tenho vindo a desenvolver praticamente desde o berço.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Por hoje é tudo...


Porque existem momentos em que as palavras estão gastas. 
E as frases soam todas a cliché....



[Tenham um excelente fim de semana]

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Perdoar...





Perdoar não é deixar essa pessoa fazer parte da tua vida outra vez, nem dizer que o que ela fez não foi errado.
Perdoar é abdicar da esperança de que o passado poderia ter sido diferente.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Apetece-me ser mais do que sou...


Assim começava o texto que escrevi para esta foto.
Um texto que revelava imenso a meu respeito e mostrava bem do que é que sou feita.


 
Esta foto transmite-me suavidade, pureza, verdade e ternura.
Escrevi sobre tudo isso.
  Escrevi sobre o quanto me apetece mostrar mais do que aquilo que mostro.
Revelar mais o que tenho cá dentro.
Mas aí, a janela estaria tão aberta que até os cortinados estariam sempre no ar tal não era a corrente de ar.
Não preciso disso. 
Não preciso escrever aqui sobre isso.
Não preciso provar nada a ninguém. 
Nem mostrar nada a ninguém.
Não é defeito, é mesmo feitio.

Um dia meus amigos... um dia será assim!!!


Esta é para a Suri...


Beijinhos minha linda...


 

Às vezes sinto que estou no meio de um jogo de matrecos.
São só jogadas, bonecos a atravessarem-se à minha frente e remates fortes.
Livra... fico cansada! Afinal qual é a minha posição nesta partida?
Sou guarda-redes ou ponta de lança?

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Post com bolinha vermelha...


Há quem me saiba conquistar com inteligência!
  O vulgar há muito que deixou de me fascinar!
Há quem consiga descobrir o caminho para a alma!
Só um corpo é um mero exercício físico!
Há quem me faça rir!
Nada se compara a uma boa gargalhada sincera!
Há quem conheça a anatomia feminina!
Não tenho pachorra para ensinar determinadas coisas!
Há quem saiba tocar as cordas certas da minha harpa!
gosto que me descubram!...

Da minha janela eternizei parte da minha vida... Paris para sempre.


Cada vez que volto a "casa" é como se abrisse a janela da minha infância e tivesse do dom de voltar no tempo... 
Aqui fui feliz, nesta rua... estas árvores contam histórias de mim que mais ninguém conhece... 
Mas a vida é feita do presente, do passado já ninguém quer saber... por isso é sempre bom voltar a Paris, mas é sempre melhor regressar a Portugal.

Se Lisboa pode... nós também!


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Eu não diria melhor.... ( e eu até sou uma cabecinha pensadora)


"A elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado subtil de se deixar distinguir."

 
[Paul Valery]

Por falar em Leoa...



Não sei se é bom ou se é mau, mas parece que sou Leão com ascendente Leão. Isto dos ascendentes é novo para mim... e fui espreitar-me:

"Sempre pronta a descartar o velho pelo novo, você se transforma numa caçadora de novidades e se expõe à insatisfação."

Afinal a culpa não é minha, é da conjunção astral no momento em que eu nasci!

domingo, 9 de novembro de 2014

Nunca provoquem uma leoa...


Há pouco tempo alguém disse-me:
Tu assim, com esse feitio, não chegas a lado nenhum!
Parei. 
Pensei. 
Se o mandei?! 
Nãaa! 
Ele foi sozinho!
Não nasci mesmo para engolir sapos...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Eu quero ir ao Brasil...


Mas o Passos Coelho não me deixa ir...

Traste!!!!!!!!!!!!!!

A minha amiga do coração vai casar.


E eu queria tanto estar em Maceió no mês que vem...




Fiquei feliz e triste ao mesmo tempo... coisas que não sei explicar.

 merd@ da crise!

Às vezes acontece...


terça-feira, 4 de novembro de 2014



Todos querem indicar-me caminhos... 
Querem fazer-me olhar em determinadas direcções. 
Querem que eu vá por ali... Ou por ali. 
Todos querem forçar-me a fazer coisas, a ser coisas. 
Todos querem dizer-me que é assim. Que é para ali. Que assim seria bom. Todos querem fazer-me andar. Querem forçar-me. A ir para lá. Empurram-me. Forçam. Inventam. Fazem de tudo. Querem que eu seja uma coisa que não sou! Todos querem que eu vá, por ali.
Todos querem. 
Até Tu...

Karma's a Bitch (Obrigada Gaijo)



É tentando acreditar no karma e tentando
acreditar que a terceira lei de Newton se aplica

às atitudes, que eu, muitas vezes, reajo bem,
ou melhor, menos mal, à maldade dos outros.
De outro modo, já tinha enlouquecido.


segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Um dia deixo de ser tonta... hoje é o dia!



Faço isto com alguma facilidade às pessoas que francamente adoro...
Mas fico tão triste e desiludida quando não é reciproco...



domingo, 2 de novembro de 2014

Um dia alguém me descreveu assim:



"Simples, natural e prática.
Com uma descomplexada forma de viver e olhar o mundo
sem tabus e porquês adicionais.
Dona de um nariz empinado com pensamentos belos e profundos.
Faço viajar através das palavras.
Intensa nas palavras e na forma de ser.
Forma transcendente de escrever e conjugar as palavras tão minha.
Decidida, convicta, confiante.
Sem máscaras e ao mesmo tempo misteriosa.
Cativo facilmente apenas sendo eu.
Apaixonada pela vida.
Sedutora, espontânea, rebelde ..."

Agradecida pelas palavras... :))