sexta-feira, 29 de março de 2019

Gosto tanto



...de entardecer na praia.

Daquele espaço de tempo que separa o pôr-do-sol, e o nascer da Lua.

Gosto de sentir a areia arrefecer, e ouvir o som das ondas contra as rochas.

Gosto do silêncio que impera depois da balbúrdia de um dia de calor...

Gosto dos gritos das gaivotas, quando tomam a praia de assalto ao anoitecer.

Gosto de correr na beira da água e deixar o mar acariciar-me os pés.

Gosto do cheiro inebriante a maresia, que mistura  algas e peixes.

Gosto de ficar horas a olhar o horizonte, a ver os primeiros barcos de pesca a lançarem-se ao mar na azáfama nocturna.

Gosto de sentir a brisa fresca a embalar-me os cabelos.

Gosto da solidão...

Gosto do silêncio... Mas isso eu já disse... gosto...

quinta-feira, 28 de março de 2019

Loucura era eu ser normal!




Mas, aprendi! 
Que enquanto a vida não desistir de mim, eu não desisto dela!
Vivo de coisas lindas!
De lugares onde nunca fui...

Aprecio a brisa, agradeço, sonho e conquisto.
Há pessoas que me acompanham... 
E há outras de quem desisto.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Constatação...


Estou numa fase boa, 
sem expectativas, 
sem promessas 
 e mais livre que nunca.


segunda-feira, 4 de março de 2019

Amar versus gostar




Demorei muito tempo a perceber que podemos amar com muita força, alguém de quem já não gostamos. Sempre acreditei que a partir do momento em que não gostamos de uma pessoa deixamos de a amar. Sempre acreditei que quando deixas de ter qualquer prazer em partilhar a tua vida com essa pessoa, quando os carinhos já não fazem o teu corpo vibrar e quando um beijo dela já não muda por completo o teu dia, é porque deixaste de gostar e por consequência, de a amar. 
 Hoje sei que as coisas não são assim tão preto no branco. Hoje sei que é possível deixar de gostar, mas o coração continuar a amar, porque essa pessoa teve uma importância tão, mas tão grande, no teu coração que por muito que te tenha magoado, por muito que te tenha desiludido, continua a fazer parte da tua vida e o teu coração continua ligado ao dela, pelo amor que um dia vos uniu. E é tão difícil matar um amor assim, um amor daqueles que fica, mesmo que já não sejamos capazes de gostar. Um amor daqueles que parece ser infinito em nós. 
Demorei muito tempo a perceber que podemos amar, com muita força, alguém de quem já não gostamos. Demorei muito tempo a perceber que isto de deixar de amar é um trabalho árduo, que isto de tirar alguém do coração é um processo esgotante e moroso. Demorei muito tempo a perceber que depois de deixar de gostar, tinha de aprender a "desamar" para meu próprio bem, para o bem da minha própria alma. Mas eu acredito que, um dia, aceitamos o fim e esse dia, bem, esse dia é o princípio.