segunda-feira, 31 de março de 2014


Desafio dia 31

"Novo"



Descobri que não existe nada de novo sob o Sol...

{FIM DO DESAFIO DOS 31 DIAS DA ANITA, FOI UM PRAZER PARTICIPAR}


Chamava-se Farokh Bommi Bulsara, mas era conhecido por Freddy Mercury.
Não sabia conduzir.
Adorava gatos.
Tinha o maxilar superior assim, porque tinha mais 4 dentes que o normal.
Não tinha formação musical
Mesmo assim os maiores êxitos dos Queen eram da sua autoria.
Curvo-me perante a realeza.
E às vezes, até tinha pérolas como esta..


domingo, 30 de março de 2014


Desafio dia 30

"Inocência"



Sinto-me um pouco uma intrusa vasculhando minha infância.
Não quero pertubar aquela menina no seu ofício de sonhar.

sábado, 29 de março de 2014


Desafio dia 29

"Traíste, ou foste traída"



Apesar de eu acreditar que é pouquíssimo provável amar duas pessoas ao mesmo tempo.
Agora, se pensarmos de uma forma mais alargada não levando aquele love à letra, faz todo o sentido a mensagem do Mr. Depp.
Só quando estamos menos bem com aquilo que temos e não há vontade para melhorar [e atenção que isto é o mais importante!], é que ficamos receptivos a estímulos do exterior.
É já certo e sabido, e infelizmente sentido na pele.

Sim... já fui traída!

sexta-feira, 28 de março de 2014


Desafio dia 28

"Perfume"


O meu... 212 Sexy, by Carolina Herrera.


Tenho um problema, se é que podemos chamá-lo assim, crio demasiadas expectativas. Sobre tudo, absolutamente tudo… Resultado:
Decepção.
Sou assim, completamente dependente das minhas expectativas loucas e indubitavelmente sentimentais.
São sentimentos que chegam do nada, uma vontade louca de abraçar o mundo, mas concluo que não consigo alcançar um terço do globo,  alimento qualquer sinal de luz no fundo do túnel , tenho esperança no sorriso alheio, porque acho que é algo que devia ser real. E assim caminho, juntando pedaços de mim espalhados por aí, perdidos pelas expectativas falhadas.
Viver assim é complicado, principalmente num mundo individualista como o nosso, cheio de gente correcta, realista e insuportavelmente coerente.  Gente que age como se fosse programada. Gente que não pensa com o coração, que não segue a intuição, que calcula o caminho a seguir…
Eu não!
Sou uma sonhadora, sempre sonhei… dormindo, acordada na fila para o autocarro, sonho sempre, crio expectativas que me alimentam, que me atropelam, que me empurram para uma causa maior que chamamos VIDA.


quinta-feira, 27 de março de 2014


Desafio dia 27

"Poema / Frase"


O amor, quando se revela
Não se sabe revelar
Sabe bem olhar pra ela
Mas não lhe sabe falar

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

 Ah, mas se ela adivinhasse
Se pudesse ouvir o olhar
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

{FERNANDO PESSOA}


Existem coisas que teimam em voltar, insistem, perturbam, sei lá mais o quê…
Parece que fizeram um contrato assim que nascemos: “ Faz favor de chatear essa pessoa até ela desistir ou explodir de raiva”. Ainda não explodi, tão pouco desisti, mas confesso que existem momentos em que me apetece ser levada pela corrente. Lamentavelmente não há muita coisa a fazer, apenas esperar a poeira baixar, e aguardar o melhor momento para agir ou simplesmente EXPLODIR DE VEZ!!!
Mas se optares por te deixar explodir, cuidado! Os cacos podem atingir quem não tem nada a ver com a situação.
Se pelo contrário optares por desistir, tem cuidado também, porque a tua desistência só te prejudicará a ti mesmo.
Há no entanto uma esperança, sê honesto contigo próprio, clarifica os objectivos, identifica onde o “calo” te dói mais e cuida dele até desaparecer de vez.
Usa aquela velha máxima “ Se não podes com ele, junta-te a ele” acho que é mais ou menos assim...
Então, seja o que for que te aborrece, tem calma. Não adianta lutar com quem não se pode vencer. Tem paciência… Os dias calmos podem tardar, mas acabam por chegar para todos.




quarta-feira, 26 de março de 2014


Desafio dia 26

"Na blogosfera já me desiludi com..."



NADA!!!!

Só se desilude quem se ilude...
E eu nunca me iludi!

Há tanta coisa que gostaria de dizer. Porém tenho medo, muito medo de ser mal interpretada.
Cada um é como cada qual, a opinião assim como o gosto é própria, única e exclusiva.
Às vezes o melhor mesmo é estar calada. Dar lugar ao silêncio voluntário em vez do silêncio forçado.
Então espero a hora certa para falar, contestar, desabrochar…
Às vezes o barulho ensurdecedor da ira das palavras severas recheadas de ressentimento, levam-nos para um lugar obscuro onde só existe mágoa.
E a mágoa é onde o coração não quer estar. O coração apenas deseja bater acelerado. Assim… acelerando a vida, dando movimento aos sonhos para nos podermos sentir vivos de verdade.
E estar vivo de verdade não é tão simples como se diz por aí…  


terça-feira, 25 de março de 2014


Desafio dia 25

"Viagem de sonho"



Bora Bora / Polinésia Francesa
O paraíso existe...




Falava hoje com uma amiga a respeito deste assunto: os chamados "murros no estômago". Acho que é uma das piores sensações que se podem sentir. Falo por experiência própria, que já senti/levei alguns e a sensação é sempre a mesma: má, agoniante, o corpo gela o estômago encolhe-se, o coração pára. É uma sensação muito dúbia. Por norma esta sensação acontece quando ouvimos ou vimos algo que não queríamos e quando menos esperávamos. É um género de factor surpresa, mas no pior sentido possível.
Só quem já sentiu na pele os famosos "murros no estômago", é que sabe o misto de emoções que podem despoletar cá dentro, mas sempre para pior. [Verdade ou mentira?]


segunda-feira, 24 de março de 2014


Desafio dia 24

"A minha cor"





Só me apetece esconder, passar despercebida, ando sem vontade de encarar ou ser encarada. Não é fugir, é apenas  preservar-me dos males que me rodeiam.
Se até os ursos hibernam e voltam fortes e descansados…
Quero apenas esconder-me atrás do silêncio do meu quarto, dentro de um livro, na imensidão de um filme romântico. Ocultar-me nos afazeres pessoais, na minha rotina diária.
E assim aproveitar para viajar nos meus pensamentos, nas minhas teorias de vida, decidir para onde vou… ou se fico.
Depois…  voltar a mostrar-me, de cabeça erguida e olhar seguro, pronta para enfrentar a vida, o amor a decepção.  Com coragem suficiente para correr atrás do que ainda não conquistei.
E quando me sentir vazia de novo, vou esconder-me, vou hibernar…
Vou curar-me.


sábado, 22 de março de 2014

quinta-feira, 20 de março de 2014


Desafio dia 20

"Doce"






Não fales, não contes detalhes, não satisfaças a curiosidade alheia.
A imaginação dos outros já é difamatória que chegue !!!

{Martha Medeiros}

quarta-feira, 19 de março de 2014


Desafio dia 19

"Dor"



Nem imaginas a falta que me fazes...
Neste momento um simples abraço faria toda a diferença.

Feliz dia pai, onde quer que estejas!

terça-feira, 18 de março de 2014


Já alguém foi a Beja ver se tá lá o avião da Malásia?
Um avião que ninguém sabe onde anda, pode estar num aeroporto que ninguém sabe onde fica....


Desafio dia 18

"Estrada"


A nossa vida é concerteza  maior estrada que iremos percorrer, nela encontraremos vários obstáculos, andaremos à velocidade que nos deixar mais felizes, seremos os donos da nossa faixa de rodagem... 

sexta-feira, 14 de março de 2014


Desafio dia 14

"Comida"



"Arroz e feijão espalhados pelo chão.
Vorazmente uma mão
Toma as poucas migalhas
Para ter uma refeição!"
(...)

(Marina Seneda)

Se existe uma coisa que me derrota é a falta de sensibilidade das palavras.
Pessoas que falam sem se importarem com a consequência que essas palavras trazem à vida dos outros.
Pessoas que falam por falar, e que até sabem que aquilo que dizem entra como uma farpa nos ouvidos dos outros.
A falta de sensibilidade para o que pode ou não ser dito revela muito sobre uma pessoa.
Muito mesmo...



quinta-feira, 13 de março de 2014


Desafio dia 13

"Educação"



Palavras para quê?...


Numa tarde de chuva deste-me a mão, a tua mão… a tão aguardada mão.
Um gesto tão simples, mas tão sublime que poucas pessoas sabem o que isso significa.
O dar as mãos, o segurar as mãos, o doar-se pelas mãos…
Deste-me a mão e naquele momento não precisei de mais nada, só a tua mão na minha.
A chuva intensificava-se, a hora de ir embora aproximava-se, mas isso não importava, desfilávamos pela rua de mãos dadas, alheios a tudo e a todos, só o que importava eram as mãos entrelaçadas, enroladas… as nossas mãos.
E no meio da multidão, vi amores modernos, com gestos espalhafatosos e completamente desnecessários…
Mas eu só queria a tua mão para me sentir aconchegada, importante…
Deste-me a mão, tiveste um cuidado que poucos tiveram, foste algo que nem todos são…
Estendeste-me a mão e eu sorri. Por dentro, por fora, com os olhos.
Olhei para as pessoas que passavam por nós, e desejei que também elas tivessem alguém [como tu] que lhes segurasse a mão da maneira que seguraste a minha.
Deste-me a mão… e isso foi amor!


quarta-feira, 12 de março de 2014


Desafio dia 12

"Sentimento"



A alegria é uma rede de amor com a qual apanhas almas!








terça-feira, 11 de março de 2014


Desafio dia 11

"Sorriso"







Andar sempre equilibrada para não cair. Aprendendo a juntar todos os pedacinhos, com calma e serenidade, tentando manter o equilíbrio, porque neste mundo de gente “coerente” e “segura de si”, a necessidade de parecer uma lady, quando tudo está a desabar é essencial!
Tento manter a calma, não descer do salto e ser dissimulada o suficiente para não mostrar a ninguém as minhas fraquezas de mulher supostamente auto-suficiente. Afinal como alguém dizia eu já passei dos trinta, devia demonstrar o mínimo de maturidade em algumas situações, e até dar bons exemplos…
Mas sabem que mais?
Que se lixe!
Eu só quero o meu cantinho do lado direito da cama, quero ouvir as minhas músicas preferidas em modo “repeat” até adormecer e esquecer que o dia foi ocupado demais para sonhar. Eu só quero viver sem ser julgada, sem que me digam que me exponho demais… Porque quem me acusa de exposição nem imagina que tenho o meu lugar preferido no sofá, e que de noite desligo todos os telefones, que me escondo quando o mundo me tentar atropelar.
Eu só quero que alguém chegue perto de mim e diga: “Não faz mal seres engraçada num dia e mal-humorada no outro”, “ não faz mal se não sorrires todos os dias”
No fundo só espero que alguém um dia me diga:
“Não faz mal se não tiveste tempo de ser a mulher mais admirável do mundo!”
Não faz mal… só isso..


segunda-feira, 10 de março de 2014


Desafio dia 10

"Infância"


A infância é um reino onde ninguém morre...





A confiança é um elemento base de qualquer relação.
Quer de amizade, quer de amor, quer de teor sexual, quer laboral.
Quando é quebrada, a relação ressente-se.
Hoje, num espaço de tempo tão pequeno quebraram-se confianças. E no que parecia já fluir naturalmente criou-se uma barreira de distância. Daquelas feitas de gelo...
Hoje só me apetece que as pessoas cresçam, deixem de ser parvas, idiotas, egoístas e mesquinhas, e voltem a ser o que eu pensava que eram.
Tenho saudades delas assim...


domingo, 9 de março de 2014


Desafio dia 9

"Mãe"



É a ela que eu recorro quando preciso, quando tenho dúvidas, quando os medos me assolam.
É a pessoa que eu mais gosto de abraçar, dá-me forças que eu nem sei onde ela vai buscar.
É uma menina-mulher com uma alegria contagiante.
É quem nunca me nega um sorriso, é a pessoa que melhor me conhece.
Sempre que preciso, faço do colo dela o meu porto de abrigo.
É uma mulher coragem, uma lutadora, uma leoa a defender a família.
É a pessoa que confia em mim a 100 por cento.
É a ela que dou o melhor de mim, e também é ela que nunca me pede mais do que eu consigo dar.
Não há ninguém no mundo que mereça ser mais feliz que ela, é a pessoa que quero cuidar para sempre.
É a pessoa que tem vergonha de chorar à minha frente porque nunca quer dar a parte fraca.
Ela é uma pessoa mais importante da minha vida, a minha companheira, a minha melhor amiga, é quem eu mais amo…
Ela… a minha mãe.
[Escrito em 2013]

sábado, 8 de março de 2014


Desafio dia 8

"Ausência"


E há momentos assim...
Que crio dentro de mim um lugar especial
Onde me refugio sozinha
Na ausência de ti...

sexta-feira, 7 de março de 2014


Desafio dia 7

"Água"


Quando umas gotas de água valem por uma vida...

quinta-feira, 6 de março de 2014



Esta noite sonhei contigo.
Foi estranho, porque desde que partiste nunca tinha sonhado contigo. Lembro-me que meses antes de tudo acontecer eu sonhei contigo semanas seguidas, todas as noites, diversos sonhos…
Na verdade eu até sei porque deixei de sonhar contigo, bloqueei-te na minha mente desde o dia que partiste e eu não estava lá para te dizer “até um dia”.
Saber que parte da minha vida se encerrava ali, que eu não ia ter mais o teu colo para me aconchegar…doía demais!
As pessoas que te conheceram mais nova, acham-me parecida contigo, o olhar, o jeito de sorrir, a aparência física.
Às vezes fecho os olhos na esperança de ver a tua imagem, e quando os volto a abrir sou eu naquele espelho…
Nem sei onde quero chegar com este texto, na verdade eu até sei.
Eu não quero chegar, eu quero voltar, voltar à minha infância para te ver a preparar o meu lanche e mais tarde dizeres a toda a gente que eu não almoço como deve ser mas que  o lanche da tarde me reforça. Ou mesmo ver-te defender-me de alguma asneira que eu tivesse feito, mas que tu juravas que não tinha sido eu…
No fundo eu sei que só apareceste no meu sonho para me dizeres que nem tudo está perdido, e que embora eu esteja só, nunca vou estar sozinha nesta vida… Obrigada avó J



Desafio dia 6

"Cama"



Olho a nossa cama.
Palco vazio sem o drama, sem a comédia,
do nosso amor.
A nossa cama branca,
branca página, em silêncio,
de onde tudo se apagou...
(Meu Deus! quem poderia ler aquelas ânsias, aqueles gemidos,
aqueles carinhos
que a mão do tempo raspou, como nos velhos
pergaminhos?...)
A nossa cama
imensa como a tua ausência,
tão ampla, tão lisa, tão branca, tão simplesmente cama,
e era entretanto, um mundo
de anseios, de viagens, de prazer,
- oceano que teve ondas e gritos encapelados,
nele nos debatemos tantas vezes como náufragos
a nadar... e a morrer...
Olho a nossa cama, palco vazio
em nosso quarto - teatro fechado –
que não se reabrirá nunca mais...
Nossa cama, apenas cama, nada mais que cama
alva cama, em sua solidão,
em seu alvor...
Nossa cama
- campa (sem inscrição)
do nosso amor.


(Poema de JG de Araujo Jorge, do
livro – Quatro Damas – 1965)

quarta-feira, 5 de março de 2014


Desafio dia 5

"Flor"



"Olhai os lírios do campo que não fiam nem tecem.
E em verdade vos digo que nem Salomão em toda a sua magnificência, se vestiu com tamanho esplendor."


[Sermão da montanha]

terça-feira, 4 de março de 2014


Desafio dia 4

"Sonhos"

   Nem sempre quero ser racional, responsável e coerente.
Apetece-me, simplesmente, sonhar… vaguear entre pensamentos, flutuar por recônditos desejos, brincar irreflectidamente provocando cansaços infantis e sonoras gargalhadas, voltar a ser criança por um dia ou um par de horas, sem tempo, só eu e as nuvens a planar por aí... por onde me apetecesse… e vagabundear… sem destino, sem horas, sem compromissos…





segunda-feira, 3 de março de 2014

Desafio dia 3

"Amizade"




Há dias, alguém, referindo-se a ti, disse-me: “A tua melhor amiga…”

Soou estranho. Parei uns segundos a digerir as palavras e achei que as deveria corrigir, admito. Mas não consegui. Percebi que não tinha forma de o fazer, pois provavelmente era essa a verdade. Eu é que ainda não tinha pensado nisso.

Não te chamo de melhor amiga por medo. Ou porque me leva a não ultrapassar a analogia à perda, ou porque soa a um género substituição, quando eu tenho a certeza que tu tens o teu próprio lugar. E o mereces mais do que ninguém. Tu sabes de toda a história. Tu sabes a minha história. E como se isso não chegasse pertences a ela e és a primeira em tantos parágrafos que, agora sim eu me pergunto, como poderias tu não ser A Best?

Em contrapartida, não exijo um primeiro lugar mas estarei, com certeza, na primeira fila para tudo o que te espera. E o futuro vai ser risonho pois tu não mereces menos. Se for para rir, vai ser às gargalhadas. Se for para dançar, vai ser até cair. (Se for para praticar desporto, não vai ser menos do que BTT, pois a vida exige que seja tudo em grande).  ;)
E se for para bater no fundo, pois também faz parte, nós lá estaremos de visita para mandar todos à m**** e voltar ao nosso lugar.
Se “temos a mesma escola” como tu dizes, lembra-te que eu nunca abandonarei os meus.

**Love you girl**