segunda-feira, 15 de julho de 2019

Hoje tive saudades... Minhas!


Saudades de pedacinhos de mim que deixei por aí... 
Partes de mim que ficaram com todos aqueles a quem me doei.
Às páginas tantas, dás tanto, sentes tanto que,não raras vezes, te sentes vazia!
Hoje tive saudades... 
Dos sonhos que não realizei, da vida que não vivi... 
Dos lugares a que não fui, das pessoas que não conheci!
Hoje tive saudades... 
De quem era contigo! 
Daquele pedacinho de mundo, daquele bocadinho na passagem do relógio, daquele sorriso que me inflamava o tórax e me libertava a mente...
Hoje tive saudades de quem eu era antes de ti!

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Hoje acordei e senti um nó na garganta, quase sufocante!

 
 A cabeça não pára, o coração acelerado, numa luta renhida para não deixar que as lágrimas jorrassem cara abaixo.
Aos olhos de quem vê de fora, não me falta nada... da minha porta para dentro, falta-me tudo! 
É o fingimento constante de um estado de espírito que não existe, é a constatação de viver uma vida que não sonhei para mim...
Na realidade, as pessoas até acham que sou ingrata... porque não sabem, porque opinam sobre aquilo que deixo ver... e o que não quero que se veja, guardo num cantinho... para ninguém mexer...
Há coisas tão singelas, tão pequeninas, com tanta verdade, com tanta saudade... que não se praticam no meu castelo... que o dinheiro não compra, que o tempo não traz de volta... que por entre tudo o que tenho... são tudo aquilo que mais falta me faz...

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Dá uma preguiça enorme deixar entrar pessoas na nossa vida...



Talvez porque já adivinhemos o quão temporárias elas se podem tornar!
Nada que a intuição não nos avise! 
Nada que a cabeça não grite! 
Mas ainda assim, a gente deixa... 
E vai abrindo,devagarinho, portas que estavam lacradas... 
E vamo-nos acostumando à presença, ao cheiro e à pele...
E inevitavelmente, o coração cria um elo, que tu nem fazias questão... mas aconteceu!
É nessa altura, que as pessoas te abandonam! 
Saem sem sequer te conhecerem! 
Desistem antes sequer de tentar!
E todas as palavras foram ditas em vão... 
E todos os teus medos voltam para te assombrar...
E ainda assim, sentes que, ficou tanto por explicar...

terça-feira, 2 de julho de 2019

Ela era cheia de defeitos...



 Mas era feita de sonhos e ânsias! Queria viver depressa! E errou todos os caminhos... Uma e outra vez! Tantas vezes!
Tinha um feitio peculiar! Não engolia desaforos, não deixava nada por dizer. Ensinaram-lhe...a vida, as pessoas... Que não ia morrer sufocada com o que tinha para dizer!
Ela já tinha percebido que, nem sempre, as pessoas estão preparadas para ouvir ou saber determinadas coisas. Ela sentiu na pele o sabor das despedidas, das indiferenças e dos desprezos. Ela prometeu a si mesma não se torturar com isso e ser fiel a si mesma. Ela soube que era o preço a pagar pela sua autenticidade.
Ela viu-se,sozinha, na travessia do deserto! Ela chorou atrás de portas fechadas! Ela gritou nos silêncios! Ela desesperou-se no limite das suas forças! Ela sentiu-se vazia num coração que transbordava! Ela quis,tantas vezes,virar costas... Quis tantas vezes desistir e aquietar-se nas suas dores!
Mas ela sabe que, assim como na tempestade vem a bonança, na linha do desespero, há a linha que o separa com a esperança... Ela aprendeu a ver a luz nas travessias mais sombrias...
Ela vai continuar a errar no caminho! E está tudo bem! Porque, hoje, ela sabe que... Só fica quem tiver de ficar! E... Está tudo bem!

quinta-feira, 27 de junho de 2019



Sei que não te quero de volta, mas ainda te comparo. 
Sei que não te quero de volta, mas não consigo esquecer-me de como foi bonito.
Não te quero na minha vida, mas penso como tudo seria se tu estivesses e a vida voltasse ao normal. 
Não te quero de volta, mas ainda cogito um futuro onde tu coubesses.
Não te quero de volta, mas o coração bateu mais depressa... 
O ar ficou mais bonito, até o barulho ensurdecedor à volta, parecia silêncio.
Não te quero de volta, porque a água não corre duas vezes... 
E quando foste embora, deixaste a minha vida em cinzas, quando eu só queria que tivesses ficado.
E quando me perguntarem qual foi a coisa mais complicada que me aconteceu... 
Vou pensar em ti e responder :"Nada! Está tudo certo!"

sexta-feira, 21 de junho de 2019


É maravilhoso ser imperfeita
Dá-me uma margem de manobra brutal para continuar a errar

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Loucura era eu ser normal!




Mas, aprendi! 
Que enquanto a vida não desistir de mim, eu não desisto dela!
Vivo de coisas lindas!
De lugares onde nunca fui...
Aprecio a brisa, agradeço, sonho e conquisto.
Há pessoas que me acompanham... 
E há outras de quem já desisti.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Coisas minhas que ninguém entende... só tu...


Era simples. 
Era só não desistires à primeira. 
Era só não virares costas à primeira dificuldade. 
Era só ficares mais um bocadinho. 
Até à serenidade de uma noite passada. 
Até ao por-do-sol.
Mas desististe. 
De mim. 
De nós. 
De ti.
Eu? 
Eu não desisto de mim.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Intimidade não é sobre quem te despe...



Quantas vezes uma vida inteira ao lado de alguém, não te concede isso?
Intimidade é ter alguém para ligar às quatro da manhã, quando o sono se perdeu no vaguear dos teus pensamentos... 
É poderes confessar abertamente os teus desejos mais descabidos e saberes que não há julgamentos! 
É escancarar as portas do íntimo e deixar brotar os medos e as inquietudes, porque sabes que o outro é um pouco de ti também.
Intimidade é a partilha sublime dos silêncios, num encontro de almas, numa sintonia quase encantada,que não se explica.
Intimidade, é não precisares ser perfeito para o outro, porque com ela vem a aceitação e o apreço, até pelos defeitos... 
É quando um sorriso traz aconchego, quando um abraço se transforma em casa, quando o coração do outro faz de ti morada...
Intimidade, é comunicar sem dizer uma palavra, ler nas entrelinhas, decifrar com os olhos...
Intimidade é quando alguém te toca sem te encostar um dedo...

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Passado é passado...



Quando foste embora, deixaste um rasto de mágoa e de ressentimento. 
Não por teres ido, mas pela forma como resolveste fazê-lo. 
No meio de enganos, de mentiras e omissões!
Doeu muito! 
Doeu tanto que desejei nunca mais lembrar-me da tua cara ou do teu nome. Tirei-te da minha vida, como se nunca dela tivesses feito parte.
Escolhi não te ter por perto, mesmo quando quiseste voltar. 
Escolhi não permitir que voltasses a magoar-me.
O tempo passou e amenizou a dor. 
As feridas sararam... e com ele veio o perdão. 
Não me sabia capaz de te perdoar. 
Não me sabia capaz de esquecer o que me fizeras. 
Mas fui capaz... e sinto-me tão em paz com isso.
Voltaste a dar sinal de vida! 
Reapareces das cinzas ao fim de tanto tempo... e não dói, mas também não sinto saudades...
É como se te tivesse guardado numa gaveta... que sei que, nunca mais vou querer abrir...

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Tontices...


Separaram-se! 
Ela seguiu o caminho da direita, ele o da esquerda. Mas esqueceram-se de algo muito importante: 
O mundo é redondo...

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Na voz de quem sabe escrever...



Contei os meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu um cesto de cerejas. As primeiras, ele comeu displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral. As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa... Sem muitas cerejas no cesto, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial!

Ricardo Gondim

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Coisas minhas


Ainda bem que existem pessoas que te devolvem o sorriso que outros resolveram te tirar.

sexta-feira, 29 de março de 2019

Gosto tanto



...de entardecer na praia.

Daquele espaço de tempo que separa o pôr-do-sol, e o nascer da Lua.

Gosto de sentir a areia arrefecer, e ouvir o som das ondas contra as rochas.

Gosto do silêncio que impera depois da balbúrdia de um dia de calor...

Gosto dos gritos das gaivotas, quando tomam a praia de assalto ao anoitecer.

Gosto de correr na beira da água e deixar o mar acariciar-me os pés.

Gosto do cheiro inebriante a maresia, que mistura  algas e peixes.

Gosto de ficar horas a olhar o horizonte, a ver os primeiros barcos de pesca a lançarem-se ao mar na azáfama nocturna.

Gosto de sentir a brisa fresca a embalar-me os cabelos.

Gosto da solidão...

Gosto do silêncio... Mas isso eu já disse... gosto...

quinta-feira, 28 de março de 2019

Loucura era eu ser normal!




Mas, aprendi! 
Que enquanto a vida não desistir de mim, eu não desisto dela!
Vivo de coisas lindas!
De lugares onde nunca fui...

Aprecio a brisa, agradeço, sonho e conquisto.
Há pessoas que me acompanham... 
E há outras de quem desisto.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Constatação...


Estou numa fase boa, 
sem expectativas, 
sem promessas 
 e mais livre que nunca.


segunda-feira, 4 de março de 2019

Amar versus gostar




Demorei muito tempo a perceber que podemos amar com muita força, alguém de quem já não gostamos. Sempre acreditei que a partir do momento em que não gostamos de uma pessoa deixamos de a amar. Sempre acreditei que quando deixas de ter qualquer prazer em partilhar a tua vida com essa pessoa, quando os carinhos já não fazem o teu corpo vibrar e quando um beijo dela já não muda por completo o teu dia, é porque deixaste de gostar e por consequência, de a amar. 
 Hoje sei que as coisas não são assim tão preto no branco. Hoje sei que é possível deixar de gostar, mas o coração continuar a amar, porque essa pessoa teve uma importância tão, mas tão grande, no teu coração que por muito que te tenha magoado, por muito que te tenha desiludido, continua a fazer parte da tua vida e o teu coração continua ligado ao dela, pelo amor que um dia vos uniu. E é tão difícil matar um amor assim, um amor daqueles que fica, mesmo que já não sejamos capazes de gostar. Um amor daqueles que parece ser infinito em nós. 
Demorei muito tempo a perceber que podemos amar, com muita força, alguém de quem já não gostamos. Demorei muito tempo a perceber que isto de deixar de amar é um trabalho árduo, que isto de tirar alguém do coração é um processo esgotante e moroso. Demorei muito tempo a perceber que depois de deixar de gostar, tinha de aprender a "desamar" para meu próprio bem, para o bem da minha própria alma. Mas eu acredito que, um dia, aceitamos o fim e esse dia, bem, esse dia é o princípio.