quarta-feira, 11 de julho de 2018

E no entretanto?





No entretanto, vão-se passando os dias. Buscam-se alegrias nas coisas mais insignificantes. Procuram-se sorrisos e escondem-se tristezas. Ocupa-se o tempo e a mente. Trocam-se as voltas aos dias e o sentido às noites. Vive-se em (des)compasso de espera. Vive-se nas horas mortas e sobrevive-se no dia-a-dia. Enganamo-nos a nós e ludibriamos o mundo.
No entretanto? 
No entretanto, inventa-se uma vida. No entretanto, constrói-se uma história. No entretanto, ganham-se memórias. No entretanto, respiramos fundo, levantamos a cabeça e olhamos o mundo de frente. Olhos nos olhos. No entretanto, pensamos, analisamos, concluímos. No entretanto, cheiramos, ouvimos, saboreamos. Crescemos.
E no entretanto? 
Vive-se...

2 comentários:

  1. No entretanto sorrimos por fora quando na verdade por dentro estamos simplesmente a desabar...

    ResponderEliminar

deixa a tua opinião...