segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014



Anda um moçoilo bem parecido aqui na aldeia. Sempre que saio de casa a tempo e horas lá está ele a chegar ao que suponho ser o seu trabalho. É certo que só o vejo por breves segundos, talvez por ser demasiado descarado se abrandasse muito. Mas ainda assim parece-me ser coisa para a gente se perder um bom bocado. Desconfio que seja mecânico. Ora, desde que seja inteligente, humilde e trabalhador eu cá não me oponho. Não estamos em tempo de grandes exigências e, afinal, quem não gosta que se lhe mude umas peças?! Adiante... Não sou mulher de parar o trânsito (nem por mim nem pelos outros), é certo, mas pelo menos vou continuar a encará-lo como se não houvesse amanhã. Talvez um dia ele me pergunte o nome, ou então, que raio de problema é que eu tenho. Enquanto isso vou ambicionando que o meu bólide, em vez de falecer, em plena sexta-feira,  ao sair do trabalho, me faleça a um qualquer outro dia, a chegar a casa!


4 comentários:

  1. Podes sempre "sabotar" uma peça...e apressar a necessidade de arranjo...ou então ir lá fazer uma daquelas perguntas típicas da ignorância feminina que nenhum mecânico leva a mal, bem pelo contrário...até acham natural:)

    Bom dia minha Flor:)

    ResponderEliminar
  2. eheheh..olha e que tal uma paragem por ali num dia e perguntares se vai dar uma espreitadela ao teu bólide , porque anda a parar nos sitios onde não deve?! ...;)

    Bom dia Lirio e boa semana

    ResponderEliminar
  3. Éláaaaaaa andas a lavar as vistas portanto! Boa sorte ;)

    ResponderEliminar
  4. Ehehe. Ia dizer o que já disseram: sabotar a viatura. :)
    Pelo menos já tens vistas jeitosas pela manhã e mecânico pelo que aparenta. Eu que entro todos os dias por três oficinas de automóveis cheias de homens, trabalho com homens, não vejo um único interessante! ;)

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.