quinta-feira, 3 de julho de 2014


Gostava que a vida fosse a lápis para eu poder desenhar à vontade, mesmo que errasse não fazia mal, voltava atrás e apagava e era como se nunca tivesse existido.
 
 É...
 Mas a vida é a caneta de tinta permanente. 
E o problema é que não há mata-borrão.
:(


1 comentário:

  1. É verdade que não há mata-borrão, mas há tantos caminhos e tantas chances de ser feliz!
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.