quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Já não quero amores avassaladores



Daqueles em que estamos a dizer «amo-te muito» e «já não sei viver sem ti» logo ao segundo dia.
Já não quero nada disso.
Agora quero algo construído.
Com tempo.
Tempo para conhecer o antes, o durante e o depois.
E com desentendimentos porque as pessoas não são todas feitas da mesma matéria.
Não quero mistérios... não mesmo!
Só de pensar nisso arde-me a garganta e embrulha-me os intestinos.
Por isso, quem me quiser vai ter que construir tudo isto comigo.
Sem contos de fadas nem historinhas do «para sempre».
Dia-a-dia.
Passo a passo.

3 comentários:

Vá... comenta, não te inibas.