sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Happy new year


 


Não era para haver balanço mas depois achei que não há ano que não mereça um. 2016 foi um bom ano. Não me apaixonei mas mantive os que mais amo perto de mim. Vivi tristezas que não eram minhas e outras que chegavam para me dar um certo abalo. Concretizei sonhos, tremi de medo, venci com fé. Estreitei laços, diminui outros mas no final fiquei feliz por não perder ninguém. Ouvi elogios e críticas que me marcaram, fiz outras tantas com a dura sinceridade que quero que me continue a caracterizar. Falei demais, disse e senti coisas sem sentido influenciada pela raiva ou pela alegria desmedida. Senti ciúme. Mas não me senti a última dança de alguém. Parei de procurar. Desanimei. Quis estar fechada em casa como quis sair para todo o mundo me ver. Quis que me vissem com os meus olhos. Desiludi-me. Senti frio na barriga, pouco, mas senti. Fiz planos, adiei outros. Mas nunca desisti de nenhum que de facto acreditasse. Tracei objectivos. Senti amor. Dei amor. Tomei gestos de ternura que talvez nunca ninguém vai perceber que tomei. Talvez tenha sido alvo de outros, não sei. Mas o que conta é que as atitudes ficam com quem as toma, já dizia o meu pai. Dei gargalhadas de fazer doer a barriga. Chorei em vários caminhos até casa. E dei graças por sempre ter onde chegar. Percebi, com uma certa tristeza, que apenas atraio homens pobres e não é que procure a riqueza mas, caraças, gostava tanto que me pagassem um café. Disse disparates, dos grandes. Calei outros por aprender aos poucos que tenho de pensar antes de dizer. Porque nem todos têm a obrigação de nos conhecer e depois lá vêm os mal entendidos. Aprendi. Aprendi. Aprendi. Caí. Dei voltas e mais voltas para chegar a sítio nenhum. Senti falta. Senti um bocadinho de saudade. Porque é sempre apenas um bocadinho. Orei por mim, pelos meus e por quem não conhecia. E certa vezes por quem não merecia também. Resmunguei. Disse mal. Deixei de comer carne e já me ri muito com isso. Comecei um vida mais saudável e não engordei mais do que 1kg. E por isto, e muito, muito mais, só tenho é de agradecer. 2016 foi um bom ano, que foi. 
Venha 2017.


Feliz Ano Novo!


10 comentários:

Vá... comenta, não te inibas.