quinta-feira, 5 de abril de 2018

É tão mais fácil escrever na terceira pessoa...


Fizeste tantas promessas de amor eterno, prometeste tantas vezes que não a abandonarias nos momentos de tristeza, prometeste-lhe o mundo e abandonaste-a no exacto momento em que a fragilidade era a palavra que melhor a definia. Estava frágil e já tinha derramado toda a possibilidade de lágrimas que o seu corpo era capaz de produzir. Abandonaste-a e obrigaste-a a chorar sem lágrimas e chorar sem lágrimas é a dor de quem perde tudo e não tem caminhos que lhe permitam seguir em frente.
 Mas tu seguiste em frente, encontraste outras pessoas pelo teu caminho, fizeste outras tantas promessas de amor, delineaste, para ti, uma imensidão de objectivos e ainda vives como se não houvesse amanhã. Mas falta-te amor. O amor que ela te dava, apesar e acima de tudo. Ela não te abandonou nos momentos em que precisaste do ombro dela para chorar, ou da mão dela para te limpar as lágrimas. Ela não te abandonou.
 Mas tu acreditas que tiveste sorte e esqueceste que sorte era puderes tê-la na tua vida. Porque, quando ela percebeu que não havia um caminho que lhe permitisse seguir em frente, atirou-se pela floresta. Se teve medo do escuro? Teve, claro. Se tropeçou nas pedras que não conseguia distinguir por falta de luz? Tropeçou, claro. Mas foi delineando um caminho de possibilidades. Alisou as terras, arrumou as pedras para o lado e caminhou. Em direcção a onde? Ao infinito. Não tenhas dúvidas de que o destino dela é o infinito. O destino dela é o mundo que lhe prometeste.
 Assim que foste embora, ela viu o que não a deixavas ver, descobriu o que não a deixavas descobrir. Porque ela era cega por ti. Era, porque no caminho compreendeu que não precisa de caras metades. Tem-se a ela e é suficiente.
 Não, ela não morreu pela falta do teu amor. Ela viveu. Não, ela não é infeliz. Hoje, ela é feliz e a culpa é toda tua.

5 comentários:

  1. E existe lá coisa mais linda do que fazer alguém feliz?
    PicaçoF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O senhor qualquer dia aparece-me aqui "vestido" de senhora... esconde-se de quem, heim?

      Eliminar
  2. Por vezes precisamos de passar pela infelicidade para voltarmos a ser felizes!
    Lindo!

    Beijinhos melados :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da dor muitas vezes nasce o amor... :) beijinhos

      Eliminar
  3. Nem sempre a felicidade é prazer. Por vezes o prazer acontece depois da infelicidade.
    .
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.