terça-feira, 13 de outubro de 2015

São dias... são histórias


Não sei por quanto tempo vou ficar. Mas sei que não ficarei. 
Receber tanto, mais do que alguma vez alguém me deu, é bom. 
Bom demais por vezes. 
E os pés em certos dias parecem levitar, confesso. 
Mas, sem culpa nem intenção, mostraste-me algo doloroso. 
Já não me sei apaixonar. 
Sinto que perdi essa capacidade. 
Fruto da experiência, inexperiência e do tempo. 
«Talvez não seja o tal» vão dizer-me. 
«Os milagres acontecem devagar» irei ler. 
Mas no agora, como no até agora, sinto que já não sei como se faz. 
Não sei como baixar defesas, ser tolerante, deixar acontecer. 
Não quando não sinto o sentimento a fluir junto. 
Enquanto tu quase te perdes e eu não sei o que fazer. 
Enquanto, egoísta mas nunca desonesta, sugo aquilo que me dás para me dar força para mais uns tempos. 
Quase que desejo, idiota, ficar para sempre assim. 
Mas não me arrependo. 
Serão histórias se não for nada mais, onde valeram os beijos na boca pelos quais não morri de amor.
 
 
{save the last dance for me}

7 comentários:

  1. Acho que todos nós, em algum momento, já recebemos amor de alguém sem retribuirmos na mesma medida. Aceita o Presente e flui com ele ;) porque a vida tem formas inesperadas de nos surpreender. Foi quando achei que já não era capaz de me apaixonar, que tinha perdido essa capacidade e que já nada nem ninguém me conseguia surpreender que apanhei a maior "flechada" da minha vida. E com uma intensidade tal que me sentia outra vez adolescente. O facto de nos tornarmos mais exigentes e menos deslumbráveis não significa que perdemos "capacidades". beijinho**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas foste flechada por alguém novo... que não conhecias... certo?

      Eliminar
    2. Sim, alguém totalmente novo! :) Métodos antigos não trazem soluções novas. Vais ver que na devida altura o Special One aparece. Só não percas tempo com homens cliché, que só de olhar para eles já sabes onde te levam. Ou onde não te levam...lol. Nutre a Mulher dentro de ti. Dedica-te a isso, a nutrir-te a ti mesma com o que te faz bem e te torna feliz. Faz-te plena, inteira e feliz como Mulher primeiro. Para atraires alguém no teu registo, que seja digno de ti. Beijo muito grande*

      Eliminar
  2. Desgosto de amor?

    Sabe porque existem as esquinas? Vou tentar explicar. É que para além de cada esquina existe sempre algo desconhecido... e no desconhecido pode estar a essência da vida, qual acalmia do coração. O amanhã existe. A esperança também. Fique feliz
    .
    Deixo cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é/foi um desgosto de amor. É ter alguém que nos dá o mundo... e nós só queremos a rua onde moramos... não consigo dar mais...

      Eliminar
  3. Eu ia dizer, mas não digo, está tudo tão bem dito em cima...quer dizer...digo...a última pessoa a quem eu disse que desistisse porque eu não me ia apaixonar, que só o queria como meu amigo?!
    Casamos faz amanhã 20 anos.
    Vive um dia de cada vez, não sabes nunca o fim da "história"...jinhoooooossss minha querida:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje é dia 15 Suri... tens de me contar tudoooooooooooooooo

      Eliminar

Vá... comenta, não te inibas.