terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Ainda sobre o Natal...


Não foi por serem os meus bombons favoritos, muito embora não seja difícil com eles derreter qualquer coração. 
Foi por deitares abaixo todas as minhas defesas com um único gesto, num espaço de breves minutos. 
O segredo está no saber surpreender, e tu, seja por que motivo for, fizeste-o. Não consigo decifrar as tuas motivações, apenas me disseste que me deveria sentir uma privilegiada. 
Também não sei o que isso significa dada a tua nuvem cinzenta mas pensar em alguém, sair de casa e comprar-lhe os bombons preferidos tem de ser no mínimo especial. 
Lamento a presunção. 
Paraste-me o cérebro. 
Raios! 
Como odeio que isso me aconteça, fica tudo tão perigoso. 
Mas foi inevitável o brilho da cor dourada não reflectir nos meus olhos. 
Se tivesse havido espaço para pensar, eu não teria, por puro impulso, dado aquele abraço e tu não estarias com um ar tão feliz por me ver de igual maneira. 
Talvez não sejas mais do isto mas entraste assim na lista dos poucos que em algum momento me baixaram as barreiras. 
Para quê mentir? 
Surpreendes-te-me porra. 
E nem imaginas como eu adoro surpresas.


{save the last dance for me}

3 comentários:

  1. Foi bom, não foi? Isso é o que interessa!

    ResponderEliminar
  2. Tão booooommmm :))))) Adoro "sentir-te" assim :))))
    Que seja um pronúncio do ano maravilhoso e agradavelmente surpreendente que vais ter ;)))))
    Beijocasssss

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.