quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

O menino Jesus está de castigo...

...Este ano não sai do armário.
Não me apetece.
Perdeu-se a magia.
Não há velas acesas, nem luzes a piscar, nem árvore decorada. 
Boicotei o Natal.
As figuras não vão ter o lugar de destaque no hall de entrada.
Nem a Maria loira e alta comprada na Baviera.
Nem o José negro adquirido no Quénia.
Nem Jesus bebé  de tez clara e olhos tentadoramente azuis, encontrado abandonado no fim do Marché aux Puces em Paris.
Nem sequer os animais comprados por aí, onde quer que a minha mãe fosse.
 
(confesso que sempre me fez alguma confusão o menino Jesus não ser mulato, mais tarde vim a descobrir que o José nada teve a ver com o assunto.)

Pela descrição já deu para notar que não era um presépio convencional. 
Mas era nosso, feito com o carinho da minha mãe, sempre com um toque especial.
Este ano ela não me vai massacrar até eu ir com ela ao campo apanhar musgo.
Este ano a minha cozinha não vai ter os cheiros agoniantes de fritos e bolos.
Os convidados para a ceia não vão chegar...
A mesa vai ficar vazia...
A toalha com azevinhos  fica na gaveta.
Não existem prendas escondidas, nem meias espalhadas pela sala.
Resta-me pedir um desejo: Dormir dia 23 e só acordar em 2016.

Sinto tanto a tua falta...
 
 

 
 

5 comentários:

  1. Lírinho docinho de ternura....
    Aqui são 09 e 53 da noite. Em Portugal é um pouco mais (algo como 3 horas em avanço!). Acabei de chegar das provas finais do 6o. período. Amanhã pela manhã e à noite, encerro meu trabalho.
    E vim aqui para ler-te. Li (e você sabe disso!) com lágrimas nos olhos, pelo teu texto tocante. Pelo teu texto muito lindo, onde está refletida a dor de uma doce mulher que perde seu referencial maior nos últimos anos....D. Almerinda, tua mamãe!
    Hoje você está só, o Natal (por pressuposto um encontro familiar) perdeu um pouco do encanto, principalmente nos primeiros meses da perda.
    Estou secando um pouco minhas lágrimas. Entendo-te mais que ninguém.
    Mas essa prova espiritual é fortalecedora, um passo para a busca de novas referências pessoais, um novo esteio familiar, uma nova referência.... a vida é assim.... as perdas devem ser substituídas (nunca esquecidas!!).. e isso, o tempo cura. O Natal é um tempo de fé, esperança e caridade, as 3 virtudes teologais que São Paulo nos deixou na Epístola aos Coríntios...
    Ao viver essas virtudes, o Natal toma outra dimensão, outra cor e outro referencial.
    Te adoro muito Mulher Linda, Maravilhosa, Bela e ótima filha...
    Um primor de fêmea, completa, amiga e companheira....
    E que teu Natal, mesmo com o presépio ni fundo do armário, tenha, em teu coração, o presépio. Aquele presépio de amor que a filha amorosa, fiel, companheira e querida construía todos os natais com a família....
    Esse presépio que está montado no teu coração seja o presente para ambos que estão lá no Céu, cuidando de ti.
    Beijinhos docinho de ternura e carinho... vou pegar você, jogar dentro da água com açúcar e fazer um docinho de Natal..... e vou deixar na porta de tua casa. Os anjinhos levarão esse docinho lá no céu, para um casal amigo comer....

    ResponderEliminar
  2. Por me ser impossível encontrar palavras que de alguma maneira te dê algum conforto, peço a PDR que me empreste as dele e faço delas minhas também...
    Um abraço apertado...

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.