quinta-feira, 13 de abril de 2017

Ainda sobre a juventude tuga em terras vizinhas


Para compensar a falta de isenção dos meios de comunicação, gosto sempre de ouvir o que o outro lado tem a alegar em sua defesa.
Tinha isto.
Considero-me, portanto, habilitada a formar uma opinião isenta & equilibrada sobre o pitoresco episódio dos finalistas em Torremolinos.

E é isto que temos... 

6 comentários:

  1. Tens o meu respeito Lírio...
    Para podermos formar opinião e ser justos, temos que nos informar sobre os acontecimentos das partes envolvidas...

    Beiju

    ResponderEliminar
  2. Depois de ver as inúmera reacções dos meninos compiladas numa reportagem da RTP...oh tadinhos...mas quem é que deixa certos inergúmenos/as sair de casa?

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o Picasso, Savage Maria. Lembro-me de há mais de 25 anos ter ido numa dessas viagens de finalistas a Benidorm e já naquela altura se fez muita merda nos hotéis (frigobares atirados para a piscina, cordões de lençóis pendurados nas varandas para invadir as varandas mais abaixo, saltos das varandas para a piscina, extintores esvaziados, etc), não querendo desculpar as atitudes dos "animaizinhos" à solta, a verdade é que todos os anos há confusão nessas viagens e, tenho cá para mim que com estragos ou sem estragos, os hotéis espanhóis lucram imenso, de outra forma fechariam as portas a estes "hóspedes"...
    Agora, com as redes sociais, onde toda a gente tem a liberdade de publicar o que é verdade e o que não é, a coisa inflama sempre muito mais, não costumo tomar o particular pelo geral e é triste verificar mais uma vez a facilidade com que se avalia toda uma geração pelo nível mais baixo apenas com as atitudes de alguns, lembro-me de também eu pertencer à "Geração Rasca" só porque meia dúzia de iluminados se lembrou de exibir o traseiro às câmaras de televisão no meio de uma manifestação qualquer contra as propinas...
    Ainda assim, o que mais me chocou nesta história toda, foi ler as declarações de alguns pais a desculpar as crias e a responsabilizar as escolas por não incutirem valores cívicos nos meninos, ora, francamente...

    ResponderEliminar
  4. Esta não é uma geração à rasca. Mas uma geração rasca!

    Porque hoje é o dia do beijo, e como não posso fazê-lo pessoalmente, deixo-te aqui um grande e prolongado beijo...com ou sem língua, é como queiras!

    ResponderEliminar
  5. Ora bem...vai parecer presunção, mas não é. Nem imaginas o alívio que senti quando a mais velha me contou que este ano em que termina o 12º o plano é o seguinte: irem (ela e mais meia dúzia de amigos/as) para uma casa de férias de uma das amigas no Gerês uns dias apanhar sol, passear, divertirem-se em grupo (à noite também claro, que sou mãe, mas não sou estúpida), mas e este mas faz toda a diferença "só lá para Agosto, para podermos realmente descansar e divertirmo-nos!" ... ou seja depois de exames, da aflição de entrar ou não na Faculdade...etc
    Eu não tenho filhas diferentes dos outros, mas dou graças a Deus pelas diferenças que vejo e percebo.
    Pergunto: Como é que este pessoal tem tempo para tanto disparate? E como é que se lembra de tanta barbaridade? Onde está a graça de beber até cair para o lado? Depois trazem as memórias de quê? das ressacas?
    A acreditar na Quarentona o que aconteceu este ano é apenas a repetição de maus exemplos que passam de ano para ano. Quanto à reação de certos paizinhos, também não me admira, já que são cada vez mais os que se demitem do seu papel de educadores. A culpa é de toda a gente menos deles...e é muito giro espalhar fotos nas redes sociais sobre o destino das férias da páscoa...não me recordo é de ver o mesmo número de fotos quando estas acabam num coma alcoólico, numa cama de hospital...ou na morgue.

    jinhooooooossss

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.