terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Não sei como se ama depois de amar.





Talvez nunca mais se ame da mesma forma. Talvez a loucura seja diferente. O frio na barriga também. Talvez seja um amor menos ingénuo, menos louco. Talvez seja um amor menos. Menos, porque talvez grande parte da capacidade de amar tenha ficado presa no nós que já não existe.
 Ou talvez seja um amor mais. Um amor ainda mais louco. Menos ingénuo na mesma, porque os erros do passado são alavancas para as maiores aprendizagens, mas mais louco, mais intenso, mais asfixiante, mais ardente. Talvez seja mais, muito mais. Talvez a idade ajude e o tempo seja uma ferramenta a favor.
 Não sei como se ama depois de amar. 
 Talvez nunca se ame da mesma forma. Talvez se chegue com a factura dos amores passados. Talvez o medo de perder, o medo de sofrer, nos faça viver num constante sobressalto e o amor em vez de vivência seja uma mera sobrevivência.
 Ou talvez seja um amor mais adulto, mais consciente, um amor que sabe que o amanhã é incerto, um amor que se conjuga no presente do indicativo, um amor que inclui o eu, o tu e o nós, não excluindo nunca nenhuma das partes. 
 Não sei como se ama depois de amar. Talvez seja um amor menos. Talvez seja um amor mais. Mas se vier, que seja, pelo menos, um amor verdadeiro. 

15 comentários:

  1. que lindo! verdade!! verdadeiro acima de tudo!! mas será sempre diferente! que tenhas um bom ano e que continues com tanta inspiração tão especial!
    bjos doces

    ResponderEliminar
  2. Se for verdadeiro, ja vale a pena...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for verdadeiro... (seja bem aparecido senhor)

      Eliminar
  3. Talvez não haja amor como o primeiro...
    Talvez só quando tiveres outro amor...
    Talvez seja melhor, mais seguro, mais adulto, mais consciente mas só quando o tiveres nos braços saberás...
    Talvez

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Ursinho, isso não são "talvez" a mais? :)
      Talvez seja...

      Eliminar
    2. os meus 4 contra os teus 14, isso pergunto eu não são talvez a mais?

      Eliminar
    3. ahahahahh
      Bolas, o trabalho que foi contares os meus "talvez"
      Talvez sejam a mais... sim... :)

      Eliminar
    4. Já devias reconhecer a minha minúcia e atenção aos pormenores.
      Grato pela tua inflexão a quem é capaz de ter dito talvez a mais ;)

      Eliminar
  4. Como se ama depois de amar?

    Não será "menos",
    não será "mais"
    e se não for verdadeiro,
    não será amor jamais.

    Com um ramo de :-) (sorrisos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tinha saudades das suas rimas...
      Beijinhos :)

      Eliminar
  5. Quero acreditar que exista amor depois do amor...
    ou pelo menos a ilusão dele...
    O certo é que amores terminam...e novos amores nascem...
    não existe "o para sempre" como espero que "o nunca mais" também não!

    Nunca se sabe o que o destino nos reserva...hoje mais que nunca sei disso.
    Nada é certo nesta vida, e é bom que saíbamos disso, para sofrermos menos.
    Que seja o que tiver de ser...tudo nos é emprestado Lírio e por tempo indefinido, pode ser por um dia, pode ser para toda a vida.

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que seja eterno enquanto dure...
      (gosto de te ver por cá. :) )
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Eu bem mais velho vivo no mesmo barco esquecer um amor quando é de verdade acho que nunca mas acredito que sempre se pode amar outra pessoa no meu caso mais difícil entrar numa relação pela idade

    ResponderEliminar
  7. Não se ama, mama-se. O mamar vem da alma. ;)

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.