quarta-feira, 31 de janeiro de 2018



Perdoo erros. Dou uma oportunidade. Acredito. 
Mas não perdoo traição, porque não é um erro. É uma escolha, livre, sem pressão, consciente. E que quebra a confiança. O compromisso. O ingrediente principal. É o bem mais importante que alguém pode dar. Ou tirar. E fraquejar é sinónimo que o carácter não é forte. Quando a vida desacelera tudo se nota. Todos os pormenores contam. E a repetição de erros pode ser um sinal de bloqueio. Aceitar não é fácil. Aceitar que as escolhas foram erradas é a vida a dar outra oportunidade. Sem medo.
Não aceito traição. 
Não acredito num olhar que não me prende porque já não me chega. 
Acredito no Amor.

3 comentários:

  1. sei o que sentes, sei do que falas... também acredito no Amor feito de escolhas verdadeiras e justas!
    bjos doces

    ResponderEliminar
  2. Tantas crenças... Quem escreve assim sabe o que sente. O meu problemas com as mulheres é sempre o mesmo: As mais novas são demasiado idealistas, as mais velhas são demasiado cínicas. ;)

    ResponderEliminar
  3. Manel Cruz e os seus Ornatos, defenderiam que a tua derradeira frase pode ser uma doença.
    ;)

    Filosofias à parte, Oxalá a tua te transcenda.

    Beijos

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.