segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Retalhos de uma vida


Hoje falo-vos de alguém marcado pelo tempo, a maior parte dos cabelos perderam-se nas esquinas da vida, os poucos que restam estão pintados de um branco angelical.

Tem olhos de um verde profundo, o olhar é penetrante mas vazio, e o rosto está lavrado pelas rugas da amargura.

Conheci-o aqui, podia ter sido no supermercado, na padaria, no café… mas não, conheci-o nesta cama de hospital. 
É homem de poucas palavras, tem uma voz suave e é de trato gentil.

A primeira vez que me viu, ignorou-me, como se eu fosse parte da causa dele se encontrar ali naquela cama, não me respondeu, limitou-se a encolher os ombros como se tivesse desistido de argumentar. 
No dia seguinte forcei uma breve conversa, lá me respondeu a custo.

Ouço-o resmungar entre os dentes que não tem… não entendo o que diz, finjo não me interessar.

Um dia contou-me que foi marinheiro lá nos longínquos anos 40, que teve muitas namoradas, mas que nunca casou…

-Partiu muitos corações com esses olhos verdes, digo eu brincando…

Vi-o engolir em seco, e tarde demais descobri que tinha entrado num campo minado. 
Ainda tentei desviar o assunto mas o mal estava feito… os olhos verdes profundos eram agora um vasto oceano a transbordar… e neste momento ele partiu o meu coração.

-Fui egoísta menina, paguei caro por isso… hoje estou só.

-Está nada só… então e nós? Não valemos? Tentei disfarçar a minha enorme vontade de chorar, abrindo um sorriso.

Agarrei-lhe na mão e apertei-a com força, como se neste gesto eu lhe desse toda a esperança do mundo. Perdi dez minutos da minha ocupada jornada, mas fui brindada por um largo sorriso desdentado que me soube pela vida.



Alguém disse um dia:

O maior presente que você pode dar a alguém é o seu tempo. Porque dando o seu tempo, você estará dando uma parte da sua vida que nunca mais vai voltar…”

7 comentários:

  1. Velhinhos de olhos verdes são a minha perdição...

    ResponderEliminar
  2. Lindo o texto Lírio Selvagem.....
    Imagino a história por trás desse olhar perdido!!!!

    ResponderEliminar
  3. Pois... uma pena que só se lembrem disso quando a solidão lhes bate à porta...
    Mas sim, o melhor que podemos dar a alguém é o nosso tempo, fizeste bem, Savage Maria :)))

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.