quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Coisas do passado


O Sol já acordou...
Lá fora, o vento sopra com agressividade...
Aqui, dentro do meu mundo... O sono não chegou!...
Passados tantos anos, ainda sinto a tua ausência!
Sentada no chão, guardo na mão, uma folha de papel...
Amachucada pelo tempo, e pelas vezes que tentei jogá-la fora, sem sucesso.
Não consigo, livrar-me de três  palavras, que deixaste escritas...
"NÃO LEVO NADA"
Naquele dia, li e tornei a ler...
Fiquei incrédula,
Paralisada, Confusa, Revoltada.
Não! Não podia ser.
Não podias ter saído da minha vida, assim...
Sem um beijo de despedida.
Sem um abraço
Sem um adeus
Sem um motivo
Deixaste-me só!
Desesperadamente só!
Lá fora o vento não dá tréguas às árvores que roçam com seus ramos a minha janela, mantendo-me acordada...
Lentamente abro a mão, e a folha cai no chão...
E, pela milésima vez, leio a frase...
"NÃO LEVO NADA"
Não levaste nada?????????
Como te enganas...
Levaste tudo!
Levaste a minha juventude, os meus sonhos, as minhas esperanças, a minha alegria, o meu sorriso, e levaste também a minha capacidade de amar, de acreditar...
Mas hoje descobri que já consigo recordar o passado sem chorar!
Acho que esgotei as lágrimas.
Esta manhã, em que pela primeira vez, consigo escrever sobre o assunto, elas já não caíram.
Secaram de desgosto.
Lá fora o vento acalmou...
O meu coração está mais leve.
Voltei a sorrir.
Um dia ainda vou olhar, para a tua carta, e concordar contigo...
NÃO LEVASTE NADA!
ABSOLUTAMENTE NADA!

10 comentários:

Vá... comenta, não te inibas.