quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Coisas que eu gostaria de ter escrito...



Gostaria tanto de poder continuar a gostar de ti. É tão boa a sensação de gostarmos de quem se ama; tudo parece bem melhor, se o que fazemos é sentido. Gostar de quem amamos parece natural, por ser normal. Amo-te e amar-te-ei para sempre. O amor se o foi, jamais deixará de o ser. Mas já não gosto de ti. O amor, uma vez que acontece, para sempre permanece, mas gostar, quando sucede, não sabemos se é para sempre.
Gostar não é amar. Gostar é apreciar e simpatizar. É estimar e admirar. É dar-se bem porque nos faz sentir bem. Gostar é satisfação. É saborear.
E eu perdi isso por ti; deixei de gostar de ti. Amar sem gostar é como perder o paladar; sabemos que gostamos mas já não apreciamos. Deixar de gostar de quem se ama é amar sem saborear. Amar sem gostar é como termos uma má lembrança numa boa memória. Deixei de gostar das tuas atitudes, deixei de apreciar os teus gestos. Deixei de apreciar as tuas acções e omissões.
Não te amo menos por já não gostar de ti, tal qual não te amava mais quando de ti gostava. Amar não tem condições, que se preenchem para ser amor. Amar sente-se sem explicação, sem saber porquê e sem pré-requisitos. Amar-te ou deixar de amar-te não foi opção. Gostar ou desgostar não é opção mas uma percepção.
Não gosto de ti, mas porque te amo, gosto que sejas feliz. Não gosto de ti, mas porque te amo, a tua felicidade faz-me feliz. Não gosto de ti e por isso não vivo contigo, mas porque te amo, vives em mim. Não gosto da tua atitude, mas amar-te força-me a ter esta atitude.
Amar-te não foi uma opção, nem me ofereceu alternativa; amar-te foi uma imposição sem variáveis. Amar-te aconteceu-me antes de saber o que me estava a acontecer. O amor encobriu-se, até te descobrir em mim.
Mas já não gosto de ti e é um desgosto de ti já não gostar. Mas amo-te e nem desgosto de te amar. Amar é um gosto que não está sujeito ao gostar.
Talvez um dia volte a gostar de ti, se um dia findar o meu desgostar, se do teu carácter voltar a gostar. 
Gostar de quem se ama, não é amar a dobrar mas é dobrar o gostar.



Paulo Gonçalves Ribeiro

1 comentário:

  1. Gostar e amar são dois mundos diferentes. Gostei de ler, Lírio :) Obrigado por partilhares

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.