quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Estou (quase) em paz comigo.



Estou bem. 
Quase todos os dias. 
“Tens esse ar frágil, mas és dura na queda” – já me disseram. 
É a minha alma que não consegue agarrar-se a sentimentos negativos. 
Mas às vezes quebra. 
Alguns momentos maus atingem-me como um comboio desgovernado vindo não sei de onde. 
Atinge-me. 
Deixa-me tonta, nauseada e dorida. 
A raiva e a tristeza entram-me na corrente sanguínea. 
Mas chega e logo vai. 
Levanto-me. 
E volto a andar...


6 comentários:

  1. E ademais.. tens amigo que, verdadeiramente, te amam...!!!

    ResponderEliminar
  2. A vida é mais assim...mas o importante é levantarmo-nos.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre Jorge! Na queda o que conta mesmo é a capacidade em levantar-mo-nos

      Eliminar
  3. Estar em paz é mau sinal...haverá pouco mais a fazer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Quase"... tenho a certeza que ainda haverá muito mais a fazer.

      Eliminar

Vá... comenta, não te inibas.