sexta-feira, 3 de março de 2017

Há uns anos escrevi isto... hoje pouco mudou...


São os teus olhos que busco de madrugada,
nos cantos escuros de um quarto desconhecido!
Nos meus sonhos ainda sinto o teu cheiro,
E sedenta de ti, acordo procurando o teu corpo inexistente...
Voaste para longe, abandonaste o ninho, e não me ensinaste a viver fora dele!
Procuro ajuda no Sol e na Lua
Estou desesperada
Vagueio perdida pela cidade que desconheço
Procuro os teus olhos
Os mesmos que busco em todas as madrugadas
Mas o que encontro é o teu olhar dentro de mim.
 És uma presença apenas sonhada!
E nesta confusão entre o sonho e a realidade, descubro que afinal existes...
Encontro alguns fios do teu cabelo (poucos), que guardo religiosamente na minha mão fechada.
São algumas das relíquias que este quarto esconde...
A brisa suave que entra pela janela, faz-me despertar os sentidos!
Mas hoje, apenas o vento entra no quarto...
Foste em minha vida como uma onda do mar, que chega com tamanha vitalidade e quando vai embora leva um pouco da areia da praia!
Chegaste, transformaste-me e preencheste-me a vida, e agora levaste contigo, uma parte de mim... talvez a melhor parte!
A meu lado neste quarto que não conheço, apenas a ilusão ficou.
Afinal sempre foste ilusão!
Um delírio que tomei por verdade, mas mesmo assim, continuo a procurar-te, em cada esquina, em cada banco de jardim, em cada rua que passo...
E, é novamente de madrugada que te corporificas diante de mim e espalhas a tua existência no meu leito, deste quarto que não conheço!
Queria que fosse, hoje o dia em que, virando-me para o lado, sentisse a tua respiração quente e ofegante, teu abraço aconchegante, teus lábios doces...
E o teu olhar... 
Ah! esse olhar que busco em cada esquina da vida!...
E queria poder dizer-te, ainda que uma última vez, o quanto me fazes sentir viva!

10 comentários:

  1. Lírio, que post lindooo.
    Adorei. Escreves tão bem...
    Compreendo-te tão bem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Esta menina.
    Um descritivo muito bonito numa bela prosa lírica, mas não era já tempo de dar a volta à coisa?

    ResponderEliminar
  3. Felizmente ou não todos temos uma história parecida dessas para relatar.
    Faz parte da vida.
    Faz parte de quem já amou.
    Faz parte de quem já deixou de amar.
    Belíssimo texto Donna.

    beijito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada senhor:)
      A vida é assim, cheia de encontros e desencontros.

      Eliminar
  4. Percebo-te bem, isto é uma das tuas histórias, faz parte de ti mas que não tome conta de ti ;)

    Beijos

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.