terça-feira, 11 de março de 2014




Andar sempre equilibrada para não cair. Aprendendo a juntar todos os pedacinhos, com calma e serenidade, tentando manter o equilíbrio, porque neste mundo de gente “coerente” e “segura de si”, a necessidade de parecer uma lady, quando tudo está a desabar é essencial!
Tento manter a calma, não descer do salto e ser dissimulada o suficiente para não mostrar a ninguém as minhas fraquezas de mulher supostamente auto-suficiente. Afinal como alguém dizia eu já passei dos trinta, devia demonstrar o mínimo de maturidade em algumas situações, e até dar bons exemplos…
Mas sabem que mais?
Que se lixe!
Eu só quero o meu cantinho do lado direito da cama, quero ouvir as minhas músicas preferidas em modo “repeat” até adormecer e esquecer que o dia foi ocupado demais para sonhar. Eu só quero viver sem ser julgada, sem que me digam que me exponho demais… Porque quem me acusa de exposição nem imagina que tenho o meu lugar preferido no sofá, e que de noite desligo todos os telefones, que me escondo quando o mundo me tentar atropelar.
Eu só quero que alguém chegue perto de mim e diga: “Não faz mal seres engraçada num dia e mal-humorada no outro”, “ não faz mal se não sorrires todos os dias”
No fundo só espero que alguém um dia me diga:
“Não faz mal se não tiveste tempo de ser a mulher mais admirável do mundo!”
Não faz mal… só isso..


3 comentários:

  1. Na verdade amiga...não faz mesmo mal:)))!
    Bjs
    Maria
    PS.
    Amanhã a partir das 13.30h publico a tua participação no Desafio Rostos da Diferença...Obrigada por participares!

    ResponderEliminar
  2. Não faz, não senhora:) Tens direito a ser quem és, não deves explicações a ninguém. A ser como és, sempre que na real gana te der.

    jinhoooooossss minha FLOR:)

    ResponderEliminar
  3. E como eu costumo dizer: o ponto G está nos ouvidos. As coisas boas que ouvimos e que queremos ouvir sabem pela vida...

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.