terça-feira, 3 de novembro de 2015

Amizades eternas


Não há muito tempo referindo-se a ti, disseram-me: “A tua melhor amiga…”
 Soou estranho. Parei uns segundos a digerir as palavras e achei que as deveria corrigir, admito. Mas não consegui. Percebi que não tinha forma de o fazer, pois provavelmente era essa a verdade. Eu é que ainda não tinha pensado nisso.
 Não te chamo de melhor amiga por medo. Ou porque me leva a não ultrapassar a analogia à perda, ou porque soa a um género substituição, quando eu tenho a certeza que tu tens o teu próprio lugar. E o mereces mais do que ninguém. 
Tu sabes de toda a história. Tu sabes a minha história. E como se isso não chegasse, pertences a ela e és a primeira em tantos parágrafos que, agora sim eu me pergunto, como poderias tu não ser A Best? 
 Em contrapartida, não exijo um primeiro lugar mas estarei, com certeza, na primeira fila para tudo o que te espera. E o futuro vai ser risonho pois tu não merece menos. Se for para rir, vai ser às gargalhadas. Se for para dançar, vai ser até cair. 
(Se for para praticar desporto, não vai ser menos do que BTT, pois a vida exige que seja tudo em grande).  ;) 
E se for para bater no fundo, pois também faz parte, nós lá estaremos de visita para mandar todos à merd@ e voltar ao nosso lugar. 
Se “temos a mesma escola” como tu dizes, lembra-te que eu nunca abandonarei os meus.


Happy Birthday Girl
                        

                            With Love,

2 comentários:

  1. Eu não tenho uma melhor amiga. Tenho duas ou três...o resto são conhecidas.

    ResponderEliminar
  2. Esse coisa da "tua melhor amiga", é um tema inesgotável.
    Já tive amigos, que sem serem os meus melhores "amigos", estavam lá quando foi preciso, enquanto os outros, aqueles que considerava os "melhores amigos", um a um foram-se afastando...
    Beijinho, lindona!

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.