quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Há coisas que não consigo perceber



Como seja o saudosismo eterno....

 (foto da net... não vão pensar que a gaja boa sou eu)
 :)


Ai que saudades de quando andava na faculdade e apanhava borracheiras de vinho tinto directo do garrafão ou, para os mais requintados, das garrafas de vinho Paisinho...
Ai que saudades de quando andava um ano inteiro a sonhar com a semana da Queima, em que não pregava olho, chegava a casa a tresandar a fumo, as calças prontinhas para deitar ao lixo à conta do pavimento em terra batida 
 (e se chovia, ui!)....
Ai que saudades de quando a palavra responsabilidade não fazia parte do vocabulário...
Ai que saudades de quando não tinha que fazer jantar, nem contas para pagar, nem casa para limpar...
Ai que saudades....
Eu também lembro de muitas coisas que vivi gostei e me fizeram feliz, momentos de rebeldia, de diversão, de boa disposição, momentos de copo na mão, agora não ando sempre a falar no mesmo, nem a pensar que naquela altura é que era e que agora coitadinha, tenho que me levantar cedo para ir trabalhar e levar o gato a passear!
Possas... e crescer não?
A vida é feita de etapas e o segredo é viver cada uma delas intensamente.
É que, de repente, parece que o que andamos por lá fazer, o sonho que andamos a perseguir não faz assim tanto sentido se o que queremos mesmo é não ter saído de lá.
Ou então sou só eu que sou assim!
Seja!

1 comentário:

  1. Olha, eu tenho saudades de quando as minhas filhas eram pequenas. Mas gosto que elas se desenvolvam.

    ResponderEliminar

Vá... comenta, não te inibas.