quinta-feira, 5 de março de 2015

Quem és tu?



Que por aí vieste a atravessar a minha estrada???
Atravessaste-a como um estranho e ali ficaste, parado a olhar para mim
Com os olhos mais dóceis que eu já vi!
Não só atravessaste como ali ficaste a pedir o meu ombro já cansado de sofrimentos.
Enrolaste-te em mim e eu dei-te quase tudo de mim.
Acreditei em ti
E deixei-te atravessar aquela estrada.
Vieste estranho e ficaste em mim.
Apoderaste-te das minhas fraquezas
E brincaste com a minha solidariedade!
Afastei-te de mim já o tempo se fazia tardio.
Sofri, talvez, como nunca sofri,
Pela imaturidade do teu ser,
Pela imaturidade dos teus erros quase nunca assumidos!!
Não aceitei todas as tuas desculpas, não posso!!
Acreditei nas tuas palavras
E gostei da tua música...
...que agora cantas em vão!!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá... comenta, não te inibas.